Resenha La Psicose: Jojo Moyes - Me pegando de jeito!

Há alguns meses resolvi investir no Kobo, um ereader vendido através da livraria cultura. Pesquisei muito antes de comprar, queria ter certeza que não seria mais um objeto jogado no meu quarto. Obviamente que nunca substituiria os meus livros. Mas apostei como sendo mais uma opção de leitura. Com o passar do tempo, descobri as suas vantagens. Leve. Prático. Oportunidade de se aventurar. Apostar em novos autores. E foi nessa que descobri a: Jojo Moyes. 



O primeiro livro que li da autora foi “Como eu era antes de você”. Uma história tocante de uma mulher que vira cuidadora de um tetraplégico. Ao primeiro momento a história tem tudo para ser um drama depressivo de cortar os pulsos. E comprei o ebook sem nem ter lido a sinopse direito. Imagina a minha surpresa quando conheço o Will. Nossa! Como eu me envolvi com essa história. Como Jojo me fez enxergar possibilidades, pensar sobre a vida e tudo mais. Eu ri, chorei, senti raiva. Eu me perguntei como eu era antes do Will. Simplesmente amei! 

Para você ter noção do grau de intensidade que me envolvi com o Will, alguns amigos acreditaram que ele era de verdade. Um dia eu conto a história, porque não quero dar spoiler nesse post. Quero que vocês tenham a própria experiência lendo! 

E assim, jurei que nunca mais iria ler nenhum outro livro da Jojo Moyes! 

Mas cá estou eu escrevendo um post sobre os dois livros dela. 

Acabei de ler “A última carta de amor”. Uma história totalmente diferente - que mostra sua versatilidade. Nesse livro histórias em tempos diferentes são entrelaçados montando um quebra-cabeça que envolve amor, traição, moral e cartas apaixonantes. Sabe aquela história que não te deixa respirar direito? Que quando você acha que tudo se resolveu algo acontece? E aos poucos as coisas vão sendo esclarecidas? 

Em cada capítulo, a autora utilizou a última carta de amor de pessoas reais, dando um toque super especial ao livro. 

Maldita Jojo. Me pegou de jeito de novo! 

Nos dois livros, ela consegue de maneira delicada e envolvente fazer você pensar sobre todas as formas de amar e os dilemas que esse ato traz. E ao terminar “A Última Carta de Amor” tenho a liberdade de tomar as seguintes palavras como sendo dirigidas a mim, e tenho certeza que todos que leram também as tomaram para si: “Essa experiência lhe mostrou que idade não é proteção contra os riscos do amor” (Capítulo 26). E nem contra proteção contra romances apaixonantes como seus, sua maldita!  (<3)

Só tenho mais uma coisa para dizer: Leia. Depois venha falar comigo! Quero saber se vocês também desenvolveram uma relação de amor e ódio que essa autora maravilhosa.

Comentários

  1. Droga, vc abda falando tabto nessa autora que vou ser obrigada a ler. Depous te conto mesmo. Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário