Indicados ao Oscar: Nebraska e Philomena

Nesse post-dobradinha, eu vou falar do Philomena e do Nebraska, os últimos dois filmes que eu assisti. 



Philomena (Judi Dench - como diz meu namorado "a velha do 007") ganhou meu coração logo no começo quando descobri que ela é uma senhora irlandesa (coraçãozinho). O filme conta a história de como foi escrito o livro "The Lost Child of Philomena Lee" por Martin Sixsmith, interpretado pelo ator Steve Coogan. A história da Philomena envolve uma gravidez prematura, o que leva seu pai a colocá-la em um convento. Lá obrigada a pagar os seus pecados, acaba perdendo o seu filho para adoção. Depois de 50 anos, com ajuda de Martin, ela quer ir atrás do seu filho. 


Eu não sei se sou eu que fico tentando procurar um sentido por traz de tudo, mas senti nesse filme uma pontada de crítica ao catolicismo e os "seus pecados". Tem uma cena que achei muito boa em quem Martin diz que não existe uma resposta simples para se responder a pergunta "Você acredita em Deus?", enquanto Philomena não titubeou e respondeu com um determinado "Sim". E é engraçado, ela ter esse tipo de pensamento mesmo depois de tudo que a "instituição de Deus" fez com ela. 

Apesar de se tratar de uma história real e dramática (o que podemos ver em quase todos os filmes indicados a melhor filme desse ano) a direção e roteiro tornaram a história mais leve dando umas pitadas de ironia e comédia. É muito legal ver essa velha senhorinha dando algumas lições no Martin durante o filme e como apesar de tudo que aconteceu com ela, ainda conseguia levar a vida com tanto bom humor. 


E falando em velhinha... O que é o Woosy Grant, nosso velhinho do Nebraska?!


Interpretado por Bruce Dern, o senhor Grant é um idoso cansado da sua vida monótona e julgado como senil por sua família. Quando ele recebe uma carta pelo correio falando que ele teria ganho 1 milhão de obamas, esse passa a ser o seu objetivo e nem que precisasse ir a pé, ele iria até Nebraska conquistar o seu prêmio. 

No entanto, a carta se tratava de uma daquelas propagandas falsas para assinar revistas e mesmo sabendo disso, seu filho mais novo David (Will Forte) resolve ajudar o pai, achando que seria bom tirar ele um pouco da rotina.  

No meio do caminho para Lincoln, Nebraska, eles param na casa de uns parentes de Grant na cidade onde ele cresceu. Em poucos minutos a história de que o velho Woody está rico se espalha pela pequena cidade despertando a cobiça da família de amigos. 


Achei super interessante como Nebraska mostra os conflitos familiares e os interesses que rolam dentro do núcleo familiar quando alguém se dá bem na vida. E Bruce Dern faz muito bem o papel de Woody, como já disse ali em cima, um senhor cansado da sua vida. A senhora Grant também é uma personagem muito interessante, apesar das suas peculiaridades e a maneira de tratar Woody como um "velho inútil". 
Philomena e Nebraska ganharam o meu coração de verdade. Não acredito que eles possam ganhar o grande prêmio, mas essa dupla fechou com chave do ouro o bloco dos nove indicados ao premio de melhor filme! 

Comentários