Indicados aos Oscar: 12 anos de escravidão


Nos últimos Oscar encontramos alguns indicados com a temática racial. Nos mais recentes, tivemos Lincoln (2012), Django Livre (2012) e Histórias Cruzadas (2013). Todos contando um pouco da história americana e as questões raciais envolvidas: a escravidão, o preconceito e a luta do negros na terra do Tio Sam.

"12 anos de escravidão", como título já nos indica, se passa no Sul escravista dos Estados Unidos. Solomon Northup era um negro violinista que morava em Nova York com sua família em uma boa casa. Ao receber uma proposta de emprego de uma suposta trupe circense, Solomon sofre um golpe e acaba sequestrado. A partir dai ele é levado para Louisiana e é obrigado permanecer como escravo. 


A história é realmente emocionante. Eu particularmente fico muito tocada com temáticas raciais e sociais, mas quando soube que essa história é verídica fiquei mais espantada ainda. Imagina você ser simplesmente tirado de sua família para viver 12 anos escravizado? Pior ainda, tudo por causa da cor da sua pele. 

Esse filme com certeza está entre os meus favoritos. Chiwetel Ejiofor interpreta maravilhosamente o personagem principal, com todas as dores e agonia que uma história como essa nos quer passar. E o que é o Brad Pitt aparecendo do nada no filme? (hahaha adorei).


No Wikipédia está falando que alguns críticos compararam o filme  "A Lista de Sindler" (1993) e "A paixão de cristão" (2004), pois ambos trataram de assuntos difíceis, mas que por serem bem contados viraram um grande sucesso. 

Outro fato interessante, é que John Ridley escreveu o roteiro de graça e está na lista dos indicados a melhor roteiro adaptado. Concorrendo em 8 categorias (incluindo melhor diretor) o filme tem grandes chances de levar a estatueta de melhor filme para casa!

Comentários

  1. Brad é um dos produtores do filme. Ele e Clooney adoram fazer pontas (ou atuar como protagonistas hehe) nos filmes que produzem.

    ResponderExcluir
  2. Nina, eu acho que vou chorar horrores vendo esse filme. Gostei da resenha, vou baixar!

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina.
    Eu nunca assisto os filmes enquanto eles ainda são assunto do momento, rs e foi assim que eu só assisti a esse filme no final de 2015, na madrugada do dia 31, na verdade, depois de ler o livro, chorar horrores e reforçar meu ódio pelo sistema escravista.
    Abraços.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir

Postar um comentário