O carregador pisca-p****-sorridente

Então, estou aqui na minha faculdade sentada esperando a próxima aula começar. Era para eu estar estudando, mas resolvi que dar um "oi" aqui seria mais divertido.

Ontem a noite meu celular começou a vibrar a cada dois segundos enquanto estava carregando. Fiquei tentando ver ser era algum alarme idiota de algum app idiota. Mas não, aquele era o sinal de que o cabo do carregador do iphone estava nas útimas. 

Já fazia tempo, aliás, que ele não era o mesmo. Talvez o buraco aque abriu perto do plug que se liga ao celular seja um dos motivos. 

Quando vi que aquela poderia ser a minha última recarga, justamente na noite antes do dia que fico fora de casa de 9h -as 17h, resolvi que era de comprar um cabo com urgência.

Joguei no google "cabo de energia e dados iphone 4s", os primeiros sites que apareceram foram do mercado livre. Com preguiça de procurar mais, ainda mais que eu estava no celular, que aparentemente não estava carregando mais, mas ao mesmo tempo rolava aquela esperança de ajeitar o cabo para sobreviver mais alguns dias... Enfim, acabei comprando no mercado livre, mesmo sendo contra meus princípios. 

Paguei 9 reais pelo cabo e 10 no frete. Okay. Agora eu precisava tentar ver por diabos o celular parou de carregar. Obvio que era o cabo que já "não respirava mais", mas tentei a todas as custas ressucitá-lo. Estiquei, apertei, coloquei em putr tomada. "Minha bateria" marcava 57% quando comecei a pensar o que vou fazer amanhã o dia inteiro sem celular. Minha primeira reação foi desligar para polpar bateria. Mas quem iria me acordar amanhã?

Meu primeiro pensamento foi usar meu despertador modelo antigo que faz barulho de alarm de incêndio, o que provavelmente iri acordar a casa em inteira ou podia simplesmente não funcionar.

Exitei, mas a única alternativa era a minha mãe. Coisas que eu pensei e que fato aconteceram: 1. Quando disse que meu carregador pifou, "eu falei para você comprar isso logo. Mas não teve que esperar o negocio pifar de vez"; 2. Eu pedi para ela me acordar e sabia q ela ia me acordar mais cedo do q eu precisava e lá estava ela 7h da manhã batendo na minha porta.  

Liguei o celular rápido para ver se alguma alma tinha falado comigo. Dei uma resposta rápida par Camila no whatsapp e desliguei o celular. Já estava em quase 50% e eu não tinha cabo para carregar.

Para minha sorte, eu estudo no centro do rio de janeiro, praticamente dentro do Saara (o que equivale a uma vinte cinci de março menor). Na meu caminho do metro para a faculdade tem uma loja de capinha e acessórios para celular. Para minha sorte eles tinham o que eu precisava e era só 15 reais, apesar das únicas opçōes serem rosa bebê ou amarelo (pensei: ótimo! Pelo menos agora vou ter dois fio quando o mercado livre chegar. E espero que chegue!!). 

Okay. Mais tranquila com o cabo, liguei o celular e fiquei papeando com a Camila pelo whatsapp. A bateria já estava chegando aos 20%, mas e daí? Agora eu tinha o cabo!

Só consegui usá-lo e assim carregar o meu celular há poucos minutos. Já que no Café Cultural (cantina chique da faculdade) não tinha uma toma acessível. Então, assim que possível fui até o quarto andar onde eu sabia que tinha uma tomada. Liguei tudo e nada.

Antes de julgar a qualidade do produto adquirido, desconfiei da tomada da décado de 80. E fui procurar uma sala, aliás, fui para sala onde teria aula mais tarde. Tudo por uma tomada.

No entanto, quando cheguei tinham duas pessoas sentadas na mesa do professor. Fiquei meio sem graça de estar atrapalhando e perguntei se estavam tendo aula. Um pergunta meio idiota já que  eram só duas pessoas (mas podiam estar estudando) e não tinham cara de professor (e vamos combinar, quem sou e para julgar a idade das pessoas pela cara? Eu pareço ter 15!!). Bem a questão é que fui obrigada ouvir uma piadinha "eu sou o professor" e depois a pessoa falar que estava brincando. Dei um sorriso amarelo e sentei no meu canto perto da tomada.

E eis que quando ligo o negócio da tomada um explosão de cores e luzes piscante envadem meus olhos. Meu insisto quase fez com que eu arrancasse "essa porra" (desculpem-me , mas essa é a única para que tenho para definir isso). Me digam, desde quando as coisas piscam? E desde quando não existe um aviso prévio para isso, do tipo, não use em público? Mas respirei fundo e vi que meu celular voltava a ter vida e barrinha da bateria saia do vermelho para o verde e como mágica o pisca-porra-sorridente (ah, não contei. Mas ele tem uma carinha feliz - meio troll) estava fazendo o seu trabalho!

Então deixei para lá a vergonha e o fato de poder matar alguém que tenha epilepsia (não sei escrever). 

Enfim, essa é minha história de hoje. Tchau! 

Obs.: estou digitando no celular de poucas polegadas e sem corretor ortográfico, sendo assim, ignorem os erros por mais grotescos que eles possam parecer. 

Comentários

  1. Rá Rá Rá! Que saga!

    E eu lembrei agora de um cabo que eu usei uma vez que GASTAVA a bateria do meu celular e não carregava, ele ficava muando de coro o tempo todo... Era lindo, mas nada funcional!

    Essas coisas não compensam! hahaha

    ResponderExcluir

Postar um comentário