Irlanda: O primeiro dia


Eu gostaria de dizer que parece que foi ontem, mas o meu primeiro dia parece que foi há uma era. Acordei coloquei umas três meias-calças além da calça jeans, umas três blusas, cachecol e um casacão que minha amiga Isadora me emprestou.



Eu não fazia de ideia de como chegar até a escola, e o gerente da residência me sugeriu ir para o prédio principal encontrar o pessoal tomando café e pedir uma ajuda. Como eu cheguei depois das oito da noite no domingo, não tinha nenhum mercado aberto, ou seja, não tinha nada para comer no café da manhã. Perguntei para o pessoal se tinha algum lugar perto, uma cafeteria talvez, mas todos falaram que nada estaria aberto.


Tive a sorte do pessoal ser muito simpático e consegui uma companhia para ir comigo até a escola. A estação do LUAS (uma espécie de bondinho/trenzinho) ficava há no máximo dez minutos andando. Eu tive que comprar o bilhete na máquina, já que ainda não tinha LeapCard (cartão de vale transporte irlandês). 


Chegando na escola fui bem recebida pela Ann, a secretária/recepcionista que me indicou para ir até a cafeteria onde encontrei outros novos alunos. A escola foi apresentada para gente de maneira geral e fizemos uma prova de múltipla escolha e uma conversa rápida com um dos professores.
Meu radar de brazilians logo apitou. Foi ali que conheci a Jady, uma menina muito fofa de Sorocaba. Em alguns minutos recebemos o resultado, uma bolsa da escola com um kit básico com mapa, carteirinha e manual do aluno. 

Eu fui para aula e lá conheci meus colegas de sala e a Prof. Claire que daria as aulas depois do intervalo. Todos foram muito simpáticos e receptivos.    

No final da aula eu encontrei novamente a Jady que me apresentou a Débora, a Tani e Mi (brazilians). A Mi e a Tani já estavam em Dublin há algumas semanas e sugeriram ser nossas guias argumentando que elas eram melhores guias do que a da escola. 

Mais uma vez pegamos o Luas até o centro, a famosa St Stephen Green Station, que fica do lado do parque do mesmo nome. Fomos convidadas a comer no Mezz, uma restaurante de estilo punk-rock que servia comida brasileira. Lá almoçamos com nosso recente grupinho mais um Checo, uma Russa e um Espanhol. 



Elas nos levaram pela Grafton St. onde tinha uma loja mais pomposa e linda que a outra. Passamos pelo Temple Bar e a Trinitty College. Tiramos fotos com o Liffey River (o rio principal que corta a cidade). E por fim passeamos pelo outro lado do rio e conhecemos o "Mundo de Penneys", sengundo a Mi (óbvio que ao primeiro momento isso não soou bem e virou piada interna).



Quando vimos a noite chegou e já estávamos mortas. Nos perdemos do grupo e acabamos voltando para casa. Foi um dia meio louco, muita informação em pouco e eu não via a hora de chegar o dia seguinte.



Comentários

  1. Gente, sou simplesmente fascinada pela Irlanda e faço mil planos para conhecê-la um dia. Aproveite cada segundinho e nos encha de fotos e detalhes, please!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. eu queria estar lá, queria estar lá, queria estar láaaaaaa!

    <3

    ResponderExcluir

Postar um comentário