Pensamentos vagos sobre a literatura

Fiquei pensando sobre o que poderia escrever hoje no blog. Eu estou realmente disposta a me dedicar mais a ele. Então, eu não queria deixar muito tempo sem postar por aqui. Um assunto que sempre vem na minha cabeça, e acaba muitas vezes em discussão no CBL ou com outros amigos que gostam de ler, é a questão da literatura de entretenimento. 

Lembrando que dia 2 de abril foi o dia mundial do livro infantil e dia 23 será o dia mundial do livro!

Foto: frasesfofas.com/
Tudo que vou falar aqui é puro "achismo" da minha parte. Ainda não li nada sobre o assunto muito aprofundadamente, apenas alguns artigos soltos pela internet de sites de revistas como "Super Interessante". 


Na minha ingenua convicção do que é literatura de entretenimento, eu colocaria todos os livros que não são acadêmicos e nem clássicos. Mas acho que o grande embate sempre foi (e sempre será) entre clássicos versus entretenimento. 

Óbvio que eu sou muito suspeita ao tratar desse embate. Afinal, eu sou cria do Harry Potter. Eu já lia antes, mas foi o primeiro livro que realmente me inseriu no hábito da leitura, que me fez tomar gosto. Então, claro, eu irei defender até morrer esse tipo de literatura (Me desculpem os clássicos!).

Não sei como os estudos estão tratando essa questão, mas ao que me parece as pessoas estão direcionando suas leituras muito mais para literatura de entretenimento. Eu fico me perguntando por que? Porém mais do que isso, por que as pessoas julgam tanto esse tipo de literatura?

Mais uma vez, no meu "achismo": ler é bom, seja qual for abordagem do livro. Sabe aquela história de gosto não se discute? Eu acredito que você ter preferencia pelos clássicos ou entretenimento é questão de gosto.

Não estou falando que os clássicos não são importante, longe disso. Mas acho que hoje temos uma variedade muito grande, não apenas de gêneros da literatura como tipos de literatura. A escola, na minha visão leiga, exerceria esse papel de introdução aos diversos tipos de literatura (inclusive clássicos e entretenimento). 

Eu acho que o que falta é a quebra de preconceitos na literatura. Sabe, utilizar até mesmo a literatura "ruim" para talvez aprender "como não se faz". Bem, esses são os meu votos por um universo literário com menos preconceito.

Gostaria muito de vir num futuro próximo com um post mais consistente sobre o assunto. E vocês o que acham dos hábitos leitura atuais?

Comentários