Canal da Sophie Kinsella

Qualquer leitor que conhece o PN desde 2015 sabe o quanto eu adoro a autora Sophie Kinsella. Agora em maio, a Editora Record lançou o Minha Vida (não tão) Perfeita. Mas foi através do anúncio de um novo livro, que será lançado em 2018, que eu fiquei sabendo da existência do canal dela.


Até agora a autora tem apenas quatro vídeos postados no YouTube. No entanto, já é possível ver que o seu bom humor não fica apenas nos livros. Em um deles, Sophie faz uma comparação entre espiões e escritores. E o primeiro vídeo foi uma tentativa da autora falar em italiano para agradecer aos fãs que ela encontrou em sua turnê pela Itália.
Surprise Me foi o foco do último vídeo. Ela disse que tinha acabo de terminar de escrever o livro e queria dividir essa alegria com a gente. A história é sobre um casal que ao se darem conta que terão muitos anos juntos pela frente decidem que precisam surpreender um ao outro todos dias (se eu não entendi errado). Mas como estamos falando de Sophie Kinsella é claro qu…

Irlanda: Valentine's Day (Parte I)

Finalmente cheguei exatamente na metade do meu intercâmbio. Depois de muitas conversas sobre o que fazer naquele final de semana, se íamos para Cork ou não, se íamos deixar para o próximo final de semana. Belfast era uma opção? Eu não ia sair da Irlanda sem ir no Museu do Titanic. Só sei que tudo que se desencadeou nesse final de semana, começou com essa singela discussão: Vamos para Cork ou não?

Começando o Valentine's Day fazendo um cartão personalizado.
Nesse momento eu não tinha nem noção do que tinha por vir. 

Antes de tudo isso, essa cadeia de coisas loucas que aconteceram, na realidade, começou com um dia bem calma. Na segunda aula, na sexta-feira (véspera do Valentine's Day e dia da festa da Emerald na Dicey's), a professora Claire deu uma atividade bem lúdica, onde todo mundo fez o seu próprio cartão de Valentine. Ficamos conversando e pintando, cortando e colando. Foi muito legal!

Depois da aula todo mundo foi para suas casas para se arrumar para a festa a noite. Mas eu, "a pobre" (também por não ter gostado da minha residência estudantil) resolvi ir para o centro de Dublin e ficar passeando sozinha. Fui no Stephen Green Park, na loja Forbidden Planet Dublin, passei um Starbucks para carregar o meu celular... Só que, o ser aqui inexperiente resolveu que seria uma boa ideia levar uns 8 quilos na mochila para ficar andando por ai e quem sabe ir para Cork (ou Belfast, ou lugar nenhum).

Fotos do Stephen Green Park





Quase morri nessa loja da Disney. Não comprei nada, mas não faltou vontade :(



Morrendo na Forbidden Planet com tanta coisa linda!

A cidade enfeitada para o Valentine's Day


Ha'penny Bridge enfeitada para o Valentine's Day.

Quando chegou perto da hora da festa fui no shopping do lado do Stephen Green Park para passar a make e dar uma ajeitada na minha cara. Visitei todas as lojas e lá pelas 18 horas, meus amigos começaram a chegar no centro de Dublin. 

A festa na Dicey's foi definitivamente a festa mais louca ever que já fui. Tinha a Ann (recepcionista da Emerald) e uma professora super alta e gostosa dançando loucamente na pista de dança junto com uma aluna asiática que mandava muito bem. Isso porque o mundo ainda não tinha visto eu e Tani juntas em ação, aí sim a parada ficou séria. Ou melhor, mais zuada ainda! 

Só que no meio da festa (ainda não sabíamos que na realidade aquilo era o só o começo) decidimos ir para Belfast. Quando começou as últimas badaladas para decidirmos se voltávamos para casa a tempo de pegar o LUAS, decidimos que seria melhor pegar o primeiro ônibus e só teria um jeito: virar a noite no centro de Dublin. A festa ia até 3 horas, precisávamos arranjar alguma coisa para fazer até 6 horas da manhã. Então, o jeito era continuar curtindo a festa!

Quando fomos expulsas da Dicey's, estávamos num grupo relativamente grande: Paolo, Thannya, Tani, Carlo, Gustavo e esqueci o nome do garoto que vou chamar de "cara". Enfim, tava geral com fome, então fomos para o BK que ficava aberto 24 horas. O grande problema do BK era que ele não tinha tomada para carregar o celular. Então, assim que todo mundo começou a ir para suas casas, eu, Tani e o "cara" fomos procurar outro lugar aberto.

 Fotos da Valentine's Party







Achamos um SuperMacs, só que assim que entramos, sentamos e ligamos o celular na tomada, o gerente da loja disse que precisávamos consumir. Pensamos em pedir uma casquinha de sorvete, mas a máquina tinha sido desligada, então, o jeito era pedir qualquer coisa. Pegamos uma batitinha qualquer (essa parte da história é importante, salve a batatinha na sua mente), ninguém queria comer nada porque tínhamos acabado de sair do BK.

Deu quase 4 horas, o gerente anunciou que a loja iria fechar. Estávamos morrendo de frio, Dublin tinha só mendigos, meia dúzia de caras bêbados e nosso trio andando por aí procurando um terceiro local para se abrigar com a minha mochila de 8 quilos. 

Encontramos um Starbucks aberto e antes que alguém pedisse para a gente comprar alguma coisa, optei por pegar logo um chocolate quente. Na fila um senhor que estava provavelmente indo para o trabalho começou a puxar assunto. Era tudo que eu precisava. Estava para completar 24 horas acordada e meu dia ainda nem tinha começado e o homem começou a falar em inglês (obviamente), perguntando algo sobre "quanto uns estão começando o dia, outros estão terminando o dia anterior" (não foi nada disso, mas acho que ele quis dizer isso, enfim). Gente, naquela hora nem estava falando português direito, imagina inglês. 

Dali nos despedimos do "cara" que eu esqueci o nome e, eu e Tani, fomos procurar o ponto de ônibus que ficava depois do Spire. E quase que a gente perde o ônibus, porque estávamos do outro lado da pista. Saímos correndo atravessando a avenida larga e pegamos o motorista ligando o motor.

O ônibus estava vazio, cada uma sentou numa janela na mesma fileira, jogamos a batatinha no bagageiro em cima (Olha a batatinha aqui de novo). Eu apaguei. A Tani disse que teve bastante dificuldade para dormir. Só sei que quando acordei já estávamos chegando em Belfast. Acho que eram 8h30 da manhã ou algo assim. Ou seja, dormi por volta de 2 horas. 

Começamos a pegar nossas coisas, incluindo minha mochila de 8 quilos (é importante eu frisar ela, porque foi um grande carma que não quero mais cometer na minha vida de "viajadeira"), e cadê a batata? Como somos pessoas más que não acreditam no ser humano, colocamos a culpa num ser estranho da última fileira que estava deitado no chão acusando entre nós que ele tinha roubado. Mas hoje, eu tenho quase 80% de certeza que o pacote simplesmente correu para uma das pontas do bagageiro.

Bem, depois de um dia de aula, uma caminhada de 4 horas no centro de Dublin, 8 horas de festa com a Tani, uma maldita mochila de 8 quilos, uma viagem de 2,5 horas de ônibus... Tínhamos um dia inteiro para aproveitar Belfast. O plano de volta era pegar o ônibus das 18h e chegar por volta de 22h em Dublin (Único plano que tínhamos na realidade). Então, o jeito foi ignorar o sapato errado (que escolhi para festa), a mochila de 8 quilos (o que era difícil, mas pelo menos eu tinha um shampoo seco e lenços umedecidos para limpar as remelas) e aproveitar nossas 9 horas em Belfast. (Continua)


Mais fotos desse dia









Comentários

  1. Cada lugar legal, Nina! É uma experiência interessante passar o Valentine's Day num país que comemora a data. Ainda não tive essa oportunidade. Também quero passar um Dia dos Mortos no México. Por falar nisso, o bonequinho do Jack é uma fofura. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. OK e aqui está o Jack! Hahahahaha há

    Já valeu por isso. Eu devia ter feito encomenda hahahaaha

    ResponderExcluir

Postar um comentário