Irlanda: Valentine's Day (Parte II)

Veja a primeira parte do Valentine's Day: clique aqui!

Quase morri nesse museu lindo. E morri de tanto andar nesse final de semana louco.

Como, eu e Tani, somos pessoas super organizadas e planejadas. Optamos para ir primeiro no Museu do Titanic. Já que ele abria 10 horas, marchamos para lá sem saber exatamente quanto tempo levaria. Segundo o google eram uns 30 minutos. Antes de sairmos para nossa jornada sem rumo, sacamos algumas Libras da terra da Rainha e por ironia do destino, algumas moedinhas de Libra foram o único dinheiro que consegui trazer de recordação.

Quase um A4 de tão grande!
Duas coisas que aprendi nesse final de semana: não confie no google e não confie em brazilians em 80% das vezes, ou eles vão dar pra trás no que foi planejado (como Cork), ou vão falar que tem certeza de alguma coisa sem realmente saber do que estão falando. Mas com certeza somos os mais divertidos!



Andamos como duas camelas até o Museu. E gente, ele é muuuuito grande mesmo. Só a estrutura do lado de fora do prédio já assusta. Compramos o ingresso e a atendente do quiosque foi super fofa, ela ofereceu para carregar os nossos celulares enquanto passeávamos. Aproveitamos para tomar café da manhã e acabei comendo uma parada que até o hoje não sei o que era e roubei uns guardanapos de papel com nome do museu. Antes que você me julgue, pelo menos eu não roubo palito de restaurante (nem copos de cerveja cof cof).

Clique nas fotos para ampliar!


Eu fingindo que estava andando. Fail!

Maquete da construção do pier que fomos visitar depois. 


O passeio é incrível e realmente vale a pena ser feito. Você é totalmente imerso na história, não apenas do Titanic, mas da Irlanda. Eles tiveram todo o cuidado para separar o museu por áreas (história do país, dos trabalhadores, da construção, os viajantes, o acidente e etc). A duas coisas mais legais para mim foram: um "elevador" 3D que passa por todos os andares do navio, desde a casa de máquinas até a área dos ricos, e também curti bastante um passeio com em carrinho suspenso que conta várias histórias que envolveram a construção e o navio.










Depois fomos para uma segunda parte do passeio, isso já eram quase duas horas. Alguns metros (que para gente que se perdeu, pareceu quilômetros) tem o pier onde o navio foi montado. Tem um mini museu com algumas máquinas do pier e do lado de fora você pode descer o enorme buraco onde foi construído o navio. Eles coloraram várias inventores que foram primordiais para evolução da navegação, para as tecnologias usadas na construção do navio e tal. Eles também tiveram uma sacada muito boa de espalhar alto-falantes com sons da época da construção.





Esse foi o único momento que a mochila de 8 quilos deixou a gente respirar um pouco. Conseguimos deixá-la no locker. Pegamos a mochila e no meio do caminho de seja lá para onde estávamos indo, decidimos ir para a prisão da cidade (Afinal, eu e a Tani temos um amor estranho por elas). Mal a gente sabia que teríamos que atravessar quase toda Belfast para isso. Lá se foram mais de uma hora de caminhada, frisando, com a mochila de 8 quilos. Não sei porque, achamos que seria uma boa ideia fazer tudo a pé.


Entrada da Crumlin Road Goal.
Crumlin Road Goal é o nome da prisão desativada que você encontra em Belfast. Quase morremos andando e corremos o risco ainda de perde o último horário, mas como somos super planejadas, "sabíamos" que iriamos chegar exatamente 5 minutos antes do próximo passeio.


Antes de começar o passeio o guia perguntou da onde eram todo mundo. Eu e Tani eramos as únicas, não apenas brasileiras, com fora do continente Europeu. Fiquei feliz de ver alguns Irlandeses no grupo e constatar o interesse deles pela própria história. Achei meio estranho ter crianças, digamos que o passeio não é muito leve.




Nosso guia que falava mega rápido e contava tudo num tom de história de terror.

O lugar é cheio de história e a curadoria do museu teve o cuidado de manter tudo bem organizado. Tem uma ala das celas onde eles reproduziram diversos espaços (cozinha, alojamento, administração e etc) e coloram até alguns bonecos de cera. Realmente eles fazem um trabalho fantástico lá. E o passeio durou mais de uma hora! Isso tudo, andando.

Por fim, resolvemos procurar a estatua do C. S. Lewis, porque eu queria tirar uma foto. Ficamos tão perdidas que chegamos a ser abordadas por dois senhores perguntando se queríamos ajuda. Um deles perguntou para filha que estava no carro, procuraram no celular, discutimos se realmente vali a pena ir até lá, já que eram 16 horas e começava a escurecer. Quase dei um abraço nesses senhores super fofos que a gente nem precisou pedir ajuda para receber.

Decidimos que era melhor comer alguma coisa (Starbucks, acho que nunca frequentei tanto esse troço) e tentar achar a rodoviária onde chegamos. Não sabíamos mais onde estávamos, para variar. Coloca ai mais uma hora andando que nem duas mortas-zumbis por Belfast.

OUTRAS FOTOS




Eu levitando
(na realidade, foi buscar minha luva que caiu duas quadras atrás).
Boneco de cera do diretor da Prisão. Depois dessa "trollagem", eu quase tive um
choque anafilático na cela dos condenados a morte.
Pegamos o ônibus, relativamente cheio e eu acho que eu dormi um pouco. Chegamos em Dublin por volta de 21h e ainda tínhamos que andar até o Stephen Green Park, coloca ai uns 15-20 minutos andando. Meu pé estava doendo tando que estava insuportável pisar em algumas partes das calçadas cheia de bolinhas para deficientes visuais. 

Resumindo: Aprendi que uma escova de dente e calcinha são suficientes para um mochilão express, que consigo virar a noite e andar umas 9 horas sem parar, vale a pena pagar para visitar o museu do Titanic e a Crumlin Road Goal (caso você esteja em dúvida), nada melhor que uma amiga e loucuras como essas para passar o Valentine's Day e que batatinhas não podem ir no bagageiro do ônibus sem que você espere perdê-las. 

E você acha que acabou? (Continua)

Comentários

  1. Que bom que continua, Nina. Tô adorando. Se eu pudesse visitar só um, iria ao Museu do Titanic, que parece fantástico, mas a prisão também é interessante. Agora, por piores que fossem meus filhos, não os levaria pra ver forcas. Andei pensando nas distâncias que o Google indicou pra vocês. Vai ver que ele deu o tempo de percurso de carro. Ou de segway. :) Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Hahahhahhahahahaha estaria morta de andar mas feliz
    Esse museu é impressionate!!!!!!!!!!!
    Adorei as fotos
    Tudo que é histórico eu gosto, independente se foi trágico ou não, tem história, tô lá!
    Senti umas tensão dessa prisão, mas tá tudo certo.

    Ainda estou fascinada com o Museu do titanic, MUITO incrível
    Preciso ir, preciso mesmo
    Acho que até ficaria de chororô, aliás nem sabia que esse museu existia :/

    ResponderExcluir
  3. Uau!!!!, esse eu gostaria de conhecer!
    Que show. Eu nem sabia que existia esse museu.

    ResponderExcluir
  4. Que lugar incrível, Nina! Eu adoraria fazer um passeio desse! Estou me sentindo teletransportada pelo seu blog até o Museu do Titanic.

    ResponderExcluir
  5. senti uma certa trollagem em relação aos copos de cervejas ali hein hahaha
    finalde semana mais crazy ever,tem como voltar?

    ResponderExcluir

Postar um comentário