TAG Pais na Literatura

Olá gente! Como vocês devem saber o dia dos pais é no Domingo! Aproveitei o momento e inventei uma TAG simples: Pais na Literatura. Ela é bem no estilo da que eu também  inventei pro dia das mães e é super rápido de responder - em texto, vídeo, como vocês quiserem.





1) Um pai que não tem ideia do que está fazendo
Escolhi o pai da Princesa Mia, Príncipe Phillipe Renaldi da série Diário da Princesa (Meg Cabot). Eu sei que nos filmes ele está morto, mas na série de livros ele está vivo... E sem a menor ideia do que está fazendo. Mia e Phillipe ficaram um bom tempo sem ter contato direito e, quando ele reaparece, é para informar que ops, ela é uma princesa. Ele não tem muito um skill paterno, está sempre fazendo tudo errado e namorando mulheres que são quase da idade da Mia, mas no fundo tem um bom coração e faz o que pode, dentro das circunstâncias apresentadas.

2) Um pai-mãe (um pai que faz os dois papeis)
Apesar da Bella não ser órfã de mãe eu escolhi o pai dela, Charlie Swan, de Crepúsculo. Afinal, o Charlie vale pelos dois. A mãe da Bella mora em outro Estado, do outro lado dos Estados Unidos e Charlie tem que dar conta da filha sozinho quando ela vai morar com ele. Infelizmente, para ele, é bem nesses anos que ela resolve se envolver com vampiros que brilham no sol e lobisomens que vivem sem camisa e dá um trabalhão para ele! Mas ele é super protetor e faz tudo que pode pela filha... Afinal, receber o namorado dela mexendo num rifle não é para qualquer um.

3) Um pai que deveria ser eterno
Puxando sardinha pro meu lado, eu escolhi o pai da Julie Kreeman, personagem principal do meu livro Mocassins e All Stars. Quando a história começa, Richard Patwoski já está falecido e esse é o principal motivo pelo qual Julie muda de Estado. Mesmo assim, durante o enredo, ela fala muito dele. Os dois eram muito próximos e ela sofre muito com essa ausência. Não conheço uma pessoa que não ame Richard! Ele era um fofo e merecia ser eterno...

4) Um pai que você queria ser/ter para seus filhos
Vou continuar puxando sardinha pro meu lado. Não é nem porque eu quero divulgar os livros (mas também), mas é basicamente porque eu tenho uma péssima memória e tenho que fazer um esforço absurdo para conseguir lembrar dos pais dos livros. De qualquer modo, eu escolhi o pai da Amanda, do livro que eu postei no wattpad (e ainda está disponível lá) Acampamento de Inverno para Músicos (nem tão) Talentosos. Ele é incrível, meu Deus! Ok, também é um pouco super protetor e ciumento, mas acho que é o personagem que eu inventei que tem o MAIOR CORAÇÃO DE TODOS. Afinal, perdoar a esposa alcoólatra e aceitá-la de volta na sua casa e na sua vida não é nem um pouco fácil.

5) Pai Garotão: um pai que parece um irmão
O pai que eu escolhi não é um GAROTÃO na maior parte do livro. Ele é um chato, rs. Na verdade, ele é um pau mandado da mãe chata. Enfim, ele é o pai da Babi, de Três Metros Acima do Céu. Na maior parte do livro ele só cumpre as ordens da esposa, mas tem um ou dois capítulos, em especial, que ele sai de casa e vai pra um bar, onde ele encontra... Step! O namorado problemático da filha, que sua esposa odiava. Adivinha o que acontece? Os dois se divertem muito no bar! HAHAHAHA! Adoro essa cena! Bebem horrores, jogam sinuca e ficam amigos. 

~~ Esses são meus pais selecionados! E vocês, quem selecionariam? Me ajudem a lembrar de outros pais, pelo amor de Deus!!! Eu tenho problemas sérios de memória :)

Comentários