Canal da Sophie Kinsella

Qualquer leitor que conhece o PN desde 2015 sabe o quanto eu adoro a autora Sophie Kinsella. Agora em maio, a Editora Record lançou o Minha Vida (não tão) Perfeita. Mas foi através do anúncio de um novo livro, que será lançado em 2018, que eu fiquei sabendo da existência do canal dela.


Até agora a autora tem apenas quatro vídeos postados no YouTube. No entanto, já é possível ver que o seu bom humor não fica apenas nos livros. Em um deles, Sophie faz uma comparação entre espiões e escritores. E o primeiro vídeo foi uma tentativa da autora falar em italiano para agradecer aos fãs que ela encontrou em sua turnê pela Itália.
Surprise Me foi o foco do último vídeo. Ela disse que tinha acabo de terminar de escrever o livro e queria dividir essa alegria com a gente. A história é sobre um casal que ao se darem conta que terão muitos anos juntos pela frente decidem que precisam surpreender um ao outro todos dias (se eu não entendi errado). Mas como estamos falando de Sophie Kinsella é claro qu…

Irlanda: Um outro olhar sobre o intercâmbio

Dessa vez a coluna da Irlanda está vindo com uma novidade. Desde que eu voltei da Irlanda, tudo que eu falei sobre ela foi relacionado a minha experiência. Hoje, eu trago para vocês um relato de um amigo do ensino médio, Gabriel Paredes Sochaczewski, que está na terra dos Leprechauns. Nesse texto, ele fala com muita emoção sobre o seu primeiro mês de intercâmbio.





"Há exatamente um mês, nessa mesma hora, eu estava embarcando na viagem mais importante da minha vida. O destino era incerto, cheio de medo, dúvida, insegurança, e totalmente nebuloso. Foram 14 horas em um vôo cheio de turbulências de sentimentos diferentes, onde eu não conseguia, pela primeira vez na vida, prever ou planejar nada que estava prestes a ser vivido.

Acompanhando aquele mar de nuvens, estava o registro de todas as despedidas, idas e vindas de Naná Móvel, o salto de paraquedas, as apresentações e falas naquele impactante churrasco surpresa, ajudas dos melhores amigos pra várias coisas da viagem, saídas com a minha mãe e vó pra resolver milhões de coisas, idas com meu pai pra resolver passaporte, japas com a minha tia, ida a São Paulo pra me despedir do meu tio e primos, a visita-auxilio de viagem do meu tio, tia e priminha na véspera, última noite dos irmãos vendo todos os Jogos Vorazes com a minha irmã, minha cachorrinha entrando na mala vazia já sentindo minha falta, geral me levantando no Buteko, Festa Do Tomate, Road Trip com os meus manolos, viagens para Itatiaia, gravações de "What Is Love", vários "aproveita muito", "seja você mesmo que vai dar tudo certo", os grafittes tijucanos, o último dia que vários amigos foram me visitar e me ajudar com os últimos detalhes, conversas, choros, últimos abraços, minha boadrasta e meu pai me telefonando no pré-embarque e ele me falando que apoiava essa viagem me passando um pouco mais de segurança quando eu já estava no avião, e a lembrança da minha família ficando pra trás me olhando na fila de embarque.

Esses incriveis momentos que foram registrados desde que comecei a planejar e me "preparar" para essa nova aventura foram as coisas que mais me confortavam no céu, que ainda me confortam agora e que também me emocionam sempre.

Logo que cheguei, conheci uma galera bem maneira (uma menina super gente boa e solícita que sei que mora em Brasília, toca piano e é grega (Hahaha), uma carioca marrenta, mas muito do bem, um carioca muito parceiro, só que ele me conquistou e já fugiu pra Limerick, e um sulista que se esconde por trás de sua quietude mas que quando o conhecemos de verdade sabemos a pessoa boa que é) que já me botaram o apelido de "atalho" ( já que eu sabia todas as manhãs de como andar em Dublin, só que não, e entrava em vários becos errados). Esse grupo que eu já gosto tanto fez o trote de iniciação comigo e com o irmão que fugiu pra Limerick: cantar no Karaoke do Australiano!Foi aí que vim parar nessa casa caóticamente diversificada com mais de 20 pessoas, onde você não consegue ficar desanimado em nenhum momento e nem sem fazer nada, sempre tem uma novidade acontecendo em algum cômodo (me lembra um pouco o prédio do "Hey Arnold!").

Em um mês, eu descobri a carga do que significava a palavra Intercâmbio, e o poder que a palavra Mundo tinha.

Consegui dar mais valor a tudo que eu tinha, e criar valores novos, vi um novo significado de responsabilidade, obrigação e respeito.

Dois amigões que fiz por acaso no primeiro dia de aula e já sei que vão ser pra vida toda (aliás, a maioria das amizades aqui acontecem assim do nada, apenas pedindo uma informação ou simplesmente sentando ao lado da pessoa) vieram aqui em casa pra me ver como eu estava, conversar um pouco e ainda buscar o atestado pra me ajudarem com a burocracia da escola. Esses dois irmãos pra mim, são pessoas incríveis que em pouquíssimo tempo fizemos o nosso trio é já sei que posso contar e que podem contar comigo sempre, obrigado destino;

Uma outra grande amiga que trabalha na própria escola, que conheci pela Internet ainda no Brasil, se preocupando comigo e me auxiliando o dia todo pelo WhatsApp;

Um casal que já são grandes amigos (meus pais na casa) fizeram sopa e chá pra eu melhorar, sempre preocupados e do meu lado diariamente;

Tem o comediante que certamente contrataria pra fazer stand up em um evento meu e infelizmente (pois ele saiu da casa) foi quem me passou a vaga;

Tem uma que me fez companhia a noite no Park num dia que estava bem difícil;

Tem a caipira que me ensinou as técnicas de corte de legumes, acha que sabe jogar Beer Pong mas sabe que alho cru é bom pra imunidade;

Tem um que sabe alegrar e divertir a galera, aderiu dussulis rapidinho e sabe vários macete pra bombar o Instagram.

Tem uma das garotas mais simpáticas que conheci, a mais nova au pair da Irlanda, infelizmente, por que foi embora da casa, sempre carinhosa, fofa e linda;

Outro amigo bahiano, que se amarra num movie pra treinar inglês, sempre oferecendo bolos, cherry coke, águas com sabor e quem sabe pra irmos "tescar" parece também muito com o jeito dos meus amigos do Rio;

Tem um goiano, que por sinal é o melhor cozinheiro da Irlanda, foi na rua só pra comprar isotônico por que seria bom pra me hidratar. Conte comigo: 1, 2, 3...;

Tem os dois turistas na casa, um paranaense que tá treinando pra maratona, sempre correndo até a cidade mais próxima e um mineiro, sempre muito alegre e sorridente, que me faz lembrar bem o jeito de um amigao meu que sinto muita falta, o cabeça de maçã;

Meus roommates [teve um que só ficou na casa pra ensinar o momento certo para se falar "capaz", tem um que tá ligado a 220v que não para um segundo de andar como se tivesse acontecendo um incêndio na casa, tem um cara com um coração muito grande, o tatuador "papi" que um dia vai pro rio (botei a pedido dele para as cariocas já ficarem avisadas haha), tem um que põe umas músicas loucas e até me deu o remédio vendo direto se já ta hora certa, o outro maluco com seu note-tanque pilhando de jogar lol] e todos esses malucos perguntando direto "ô carioca, vc tá bem?";

Outro me divertindo mandando áudio cantando no trabalho, meu barbeiro, e que sempre tá se preocupando se estou bebendo água, comendo direito ou passando frio. A pessoa mais sincera e boa que conheci até agora aqui;

Outra trocando música pelo Whats e alegrando o meu dia;

Tem uns irlandeses também que me ensinaram a tradição familiar deles de lavar a barriga na pia, lavar roupa de 5 minutos mas tomar banho de duas em duas semanas, dormir na cama dos outros, usar o sanitário de porta aberta, comer a comida dos outros mas eles adoram brasileiros, convidam a gnt a conhecer a família e a casa deles, são solícitos e oferecem comidas e se amarram jogar um Beer Pong;

Tem a professora que prometeu aprender a dançar forró com tutorial no YouTube e que me ajudou a entender o médico irlandês;

E o casal que sempre tá lançando na cozinha os sucessos sertanejos, ele que me ajudou a entender e a falar também com os médicos italianos, e ela que fica conversando comigo sobre destino e os impactos da distância;

Até uma pessoa que ainda está no Brasil, pra ser mais exato no meu bairro (por enquanto idosa), o destino, inexplicávelmente, me deu a sorte de conhecê-la;

"Não desista nunca..""Seja grato sempre..""Faça a sua diferença..""Aproveite ao máximo.."

Só tá começando, que venham mais meses, mais vivências e mais pessoas.

Pisando em solos europeus, meu coração se aliviou quando vi a minha melhor amiga brasileira/irmã/melhor amiga européia já me recebendo no aeroporto aqui da Irlanda. Esse encontro emocionado, tão longe de onde nos conhecemos e crescemos, só reforçou mais ainda o que sinto por ela e está nos proporcionando mais registros no nosso álbum da vida. Com ela vieram duas pessoas que conseguiram fazer a diferença logo de primeiro contato e fizeram comigo o passeio mais bonito e fotogênico até agora, minha primeira ida ao Temple Bar, visto várias vezes, sonhando meses antes, pela câmera ao vivo da Internet. Logo depois veio um turbilhão de informação, cultura diferente e um mundo totalmente novo que reforçou um pouco mais a insegurança de tudo que estava vivendo.

Já morei em dois lugares diferentes: Eu estava pela primeira vez dividindo o quarto com um cara que eu mal conhecia e que compartilhou comigo muitas palavras de dicas e saudades preenchidas em algumas noites ainda fora do fuso. Esse e mais duas personalidades super solicitas fizeram a pé comigo a minha primeira mudança.

Hoje foi um marco interessante de se completar um mês aqui, pois consegui parar para enxergar dentro do meu novo cotidiano o que eu realmente estava vivendo, caindo a ficha da distância e da saudade dos meus amigos e da minha família (pessoas imprescindíveis para que isso tudo esteja acontecendo) e começando a enxergar de um forma diferente algumas pessoas que estou conhecendo aqui que estão sendo uma das principais recompensas dessa experiência. Por estar de cama, com sinusite, o dia de hoje me reservou um momento mais pessoal que me fez refletir, ao som de Enya, algumas situações:

Descobri a parte dolorosa da amizade aqui também, a despedida! Semana passada já foi um irmão que ja está deixando saudades das sessões diretas de filmes e em poucas horas está indo um outro que me aproximei bastante e que vai fazer muita falta no corujão com milkshake (só depois das 4 da manhã rs).

Se eu não tivesse decidido entrar naquele avião, nunca teria nem imaginado que essas pessoas incríveis existiam. (Walls, Setembro de 2015)

Obrigado a todos que fizeram parte, a Deus e ao Univervo por esta tendo essa oportunidade. (Walls, Setembro de 2015)

A quantidade de amigos que temos é o retorno da alegria e da autenticidade que espalhamos. (Walls, Setembro de 2015)

O Mundo é muito grande pra pouca vida, então vamos fazer dos momentos da vida muito grandes pra todo mundo. (Walls, Setembro de 2015)"

Espero vir em breve com mais relatos de amigos e curiosidades sobre esse país lindo! 

Comentários

  1. É muito legal ver a experiência de outras pessoas, coisas que acontecem nos dois casos, coisas que cada um experimenta de uma forma diferente. Boa ideia de post!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Deve ser um lugar magnífico mesmo. Hj, acompanhando seus relatos, eu incluiria a Irlanda como destino desejado.
    Que massa o relato dele!

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Oi! Desculpa, eu nem perguntei direito também haha, li nessa parte aqui:

      "Tem um que sabe alegrar e divertir a galera, aderiu dussulis rapidinho e sabe vários macete pra bombar o Instagram"

      Muito bom o texto por sinal!

      Excluir
    2. Acho que é uma piada interna dele com os amigos.

      Esse texto foi escrito pelo meu amigo no face dele. Ele me autorizou a reposta-lo aqui.

      Desculpa não conseguir esclarecer mais do que isso :/

      Excluir

Postar um comentário