Maratona Oscar 2016: Spotlight

Outro filme que assisti antes dos indicados aos Oscar 2016, no dia 14 de janeiro, foi Spotlight. O filme teve algumas indicações no Golden Globes desse ano e traz uma história muito interessante sobre um dos grandes escândalos da Igreja Católica.



O filme gira em torno de uma equipe do jornal The Boston Globes chamada Spotlight. Pelo que entendi do filme, eles são a equipe de jornalistas investigativos e se dedicam meses a determinado assunto. Eis, que começam a investigar uma série de casos abafados de padres e membros da Igreja envolvidos com abuso de menores. A história,  obviamente, baseada em fatos reais retrata a busca desses repórter por respostas e provas. E logo, eles começam sentir a forte influência da Igreja para essa história não ser contada.


O filme tem uma importância ímpar ao trata de um assunto tão importante na história jornalística e do mundo. Milhares de crianças, ao longo de anos, sofreram abusos e os criminosos, que se dizem padres, nada sofreram. Criminosos que apostaram na fé das pessoas para se aproveitarem.

No entanto, eu tive muita dificuldade de entender o filme. Conversando com o Black, eu cheguei a conclusão de que o filme foi feito com pressuposto de que as pessoas que forem assistir estejam inteiradas sobre o caso. Já que as cenas, principalmente no começo do filme, são muito rápidas e muitas não parecem dizer muita coisa. Por exemplo, um personagem saindo ou entrando em um prédio. Eles também jogam um milhão de nomes que só ao longo filme você consegue fazer conexões de quem é quem. Eu não sei se eles tinham algum propósito nessa confusão, mas me senti muito incomodada no início.  Eu recomendaria que esse filme fosse assistido duas vezes.

Não acho que ele tenha chances de ser indicado pelo Roteiro, pode até ser por melhor filme. Os indicados a melhor filme do Oscar sempre têm um grande número se filmes baseados em história real, não que isso signifique que eles tenham muita chance de ganhar por mais incríveis que as história sejam.

Indicações:
Melhor Filme
Melhor Ator Coadjuvante (Mark Ruffalo)
Melhor Atriz Coadjuvante (Rachael McAdams)
Melhor Diretor (Tom McCarthy)
Melhor Edição 
Melhor Roteiro Original

[Adendo pós anúncio dos indicados: Fiquei chocada, simplesmente chocada. Como assim ele ganhou tantas indicações. Okay. É um filme bom, com ótimos atores e conta uma história importante. Mas "Melhor Diretor" e "Melhor Roteitor Original" foram de mais para mim! (óbvio, claro, na minha humilde opinião). Se ele sair ganhando tudo, vou ficar tão chocada quanto fiquei no ano que Argo ganhou melhor filme.]

Comentários

  1. hahahahhaha entendo essa confusão
    tem uns que me deixam assim e chego a pensar que eu não sou inteligente o bastante ¬¬
    afff

    vou assistir, fiquei curiosa
    Amo a Rachel, que bom que ela foi indicada ♥

    Nossa faz tempo que não venho aqui ÓÓ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Léa. Saudade de tu mulher!

      Também adoro a Rachel McAdams. Acho linda e fofa haha (e uma ótima atriz, claro!).

      beijos

      Excluir
    2. Oi Léa. Saudade de tu mulher!

      Também adoro a Rachel McAdams. Acho linda e fofa haha (e uma ótima atriz, claro!).

      beijos

      Excluir
  2. Hey, falar sobre entender ou nao determinados pontos, aspectos ou detalhes de uma obra é meio que complicado. Existem diversas estéticas artísticas, e uma delas é o trabalho com a subjetividade e o incômodo inconsciente. Estou estudando um pouco de psicanálise e pelo pouco que sei, nada é desperdiçado. Tudo, em algum momento, se conecta e reverbera de alguma forma, mesmo que a gente nao se dê conta. Talvez esse filme seja assim (nao assisti ainda), talvez essas cenas rápidas no início sejam exatamente pra causar esse incômodo e tenha algum toque do inconsciente, para "sair" num momento de outra forma, ou simplesmente causar o alvoroço do "pq essa cena me incomoda tanto?".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu cheguei a cogitar isso. Penso bastante antes de dizer que algo é ruim porque eu não entendi, já que a ideia de quem fez e escreveu de terminada obra tenha mesmo esse intuito de confuso. Mas para mim ficou confuso a um ponto que me incomodou bastante e sendo que não vejo por que não deixar algumas coisas claras, sabe. Principalmente por ser uma história verídica. Talvez, eu não tenha visto com tanta atenção. :/

      Excluir

Postar um comentário