Quero mais Reys e Finns - Representatividade importa sim!

Minha promessa para o ano de 2016 é ser mais positiva e tentar afastar o máximo de negatividade da minha vida. No ano passado, após assistir Star Wars - O Despertar da Força, e até antes de desse filme. Melhor. Quando comecei a conhecer o universo de Star Wars, eu também comecei a repensar várias coisas, talvez eu tenha levado algumas coisas para um lado mais filosófico. Não sei.


Só sei que o último lançamento da saga realmente despertou algo em mim. Eu adorei as outras trilogias, mas O Despertar da Força tinha algo que não teve nos outros filmes, uma mulher como protagonista. E acredite, isso faz diferença. Eu sai do cinema pensando: "Se a Rey pode, eu também posso!". Eu já tinha esse sentimento em relação com a Leia e com Amidala, mas a Rey... Nossa, a Rey! 


Na minha visão, a representatividade é pouco discutida quando se trata de cultura de massa. Ela simplesmente vem, na maior parte das vezes, e a gente simples aceita, sempre recheada de preconceitos de gênero e raça. 

Não estou trazendo nenhum conhecimento sociológico, nem nada disso. Eu estou apenas expondo a minha opinião. E isso, de certa forma, me incomoda, porque eu nunca tive esse problema de representatividade, principalmente, na infância. Quantas mulheres negras foram representadas nos desenhos que vi durante a minha infância? 



Esses são apenas alguns dos desenhos que eu mais gostava. E de cabeça, não lembro nenhum que tenha alguma personagem de desenho negra como protagonista. Seria isso paranoia da nossa cabeça? É óbvio que existem algumas exceções. Pelo menos na minha infância, tinham alguns seriados com atores, como "As Visões de Raven". O problema está justamente nisso ser uma exceção. 


Eu acho mais difícil um branco perceber isso. Você muda o seu canal da TV e ainda irá encontrar um apresentador branco, uma atriz branca, um desenho retratando a vida da classe média branca americana, etc. E pior, isso é puramente normal, porque todo dia que você acorda de manhã e se olha no espelho tem um branquelo ali. 

Essa falta de representatividade passa ser "normal". Porque, como mulher, eu não esperava que a Rey tivesse um protagonismo tão grande. Sinceramente? Eu achava que ela seria mais uma mocinha salva pelo príncipe, mais um para a minha lista e isso simplesmente seria "normal" para mim. 

Porém, graças aos deuses que iluminam a cabeça de algumas pessoas nesse mundo, a Rey brilhou! E não só brilhou, ela foi forte e guerreira. Ela me representou. E por menor que isso possa parecer para você, em mim se tornou uma avalanche. Da mesma forma, eu acredito que esse sentimento também foi despertado nos negros em relação ao Finn. 

Eu vi um vídeo do canal Melhores do Mundo, onde eles fizeram um levantamento dos bonecos do Finn, um dos protagonistas do filme, mostrando que ele não tem tanta saída em comparação com outros bonecos representado por personagens/atores brancos.  


Concordo com tudo que o Poderoso Porco fala no vídeo. É óbvio que existe preconceito, essa é só mais uma prova, e a falta de adesão nas compras dos bonecos do Finn não tem nada a ver com o personagem ser bom ou ruim. Ainda mais quando "as crianças dão preferência" para o Kilo Ren - prefiro não comentar. Por que é tão difícil uma criança branca ter um boneco negro? Ou um pai branco aceitar isso? 

O vídeo me deixou mais triste quando ele falou sobre a não produção de bonecas da Rey de 30 cm. E você que está achando que é apenas alguma teoria da conspiração, a Monopoly simplesmente não colocou a Rey como um dos bonecos no jogo. Uma criança de 8 anos consegue ver melhor do que qualquer um o quanto isso é estúpido!


Alguém aqui pode vir e falar: "Deixa disso, é só um boneco. Só um personagem". Mas não é. Eu sei que o gênero e raça "não importam", mas importam quando não se tem figuras fortes representativas. Parece que a humanidade sempre está naquela de dar um passo para frente e dois para trás. Triste.  

Não vou me delongar mais e acredito que eu já tenha passado a minha mensagem. Eu sei que embolei dois tipos de representatividades diferentes, mas acho as duas questões, gênero e raça, têm grande importância. 

Comentários

  1. Hahahaha adorei esse psot!
    Sabe que ando lendo muito sobre isso que vc falou, a representatividade das mulheres no cinema e também na vida real está crescendo desenfreadamente. Isso é ótimo, ponto para nós!!!

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
  2. Oiiiii
    Certíssima!
    Quando milagrosamente a produção do filme finalmente decide tornar uma mulher fodona e um cara negro um dos personagens de destaque, as pessoas vão lá e fazem isso. Sacanagem!
    Mas pelo menos as coisas parecem estar andando para um lado positivo e ainda existem pessoas como você e o cara do vídeo que enxergam esse tipo de coisa e compartilham sua opinião.
    Lindo ponto de vista! <3

    Beeijão

    ResponderExcluir
  3. Sabe, Comunicação Social adora discutir representatividade. Bom tema de monografia (sim, já dá pra pensar).

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o texto... Fico imensamente feliz por ver que as mulheres estão ganhando, cada vez mais, notoriedade no cinema e na TV, pq como vc disse, é importante sim, principalmente para a criançada q nascem sem saber de distinção de raça e gênero, isso é absorvido depois... Menina tbm pode ser heroína e salvar a galáxia é só dar oportunidade a elas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário. É isso aí, nós podemos muito mais do que tentam nos acreditar poder :)

      Excluir
  5. Oi Nina!
    Eu sou mulher e sou negra. Assisti ao filme ontem e me senti representada na figura da Rey, mas muito mais representada na figura do Finn. Tomara que tenhamos também uma mulher negra.
    Excelente texto, fiquei muito contente e lê-lo e perceber que nossos modos de pensar se assemelham.
    Forte abraço.
    Minhas Impressões

    ResponderExcluir

Postar um comentário