Resenha: "Papel, Caneta & Ação"

Estou muito feliz de saber que o blog já passou da marca das 25 mil visualizações. Sei que pode ser considerado pouco, que muitos blogs tenham isso por mês ou semana, mas estou muito feliz. Não recebo muitos comentários aqui, mas o pouco que recebo sempre é muito recheado de carinho. Obrigada a todos que prestigiam o Psicose. E hoje, temos mais uma resenha fresquinha para vocês (e para mim hehe)!


Ano passado, eu tive o prazer de adquirir o meu exemplar do "Papel, Caneta e Ação" na Bienal do Rio. Foi um prazer imenso prestigiar esse trio, dar um abraço forte na minha amiga de longa data, Clara Savelli, e conhecer a fofíssima Aimee Oliveira e a Thati Machado.



Me lembro como se fosse ontem, eu chegando na bienal com a minha mãe e a Dani (minha amiga) para comprar o livro. Eu não só sai com o "PCA", como adquiri o "Pela Janela Indiscreta" da Aimee (infelizmente ainda não consegui ler) e a nova edição do "Mocassins & All Stars" (eu fiz uma resenha e entrevista com a Clara Savelli aqui no blog quando saiu a primeira edição, veja aqui). Todas foram umas fofas e autografaram com muito carinho tudo.


Bem, vamos a história:

O mágico do "PCA" é que ele foi escrito a três mãos, literalmente. Não se trata de um livro com três contos. Pelo contrário, são três histórias que se interligam e formam um quebra-cabeça de acontecimentos. Cada autora ficou responsável por uma personagem e, pelo que senti lendo, cada uma doou um pouco de si para suas personagens.


A história começa com a Aimee, quer dizer, com a Cindy. Eu particularmente tive mais empatia por essa personagem entre as três. Ela é uma jovem ilustradora que vive num mundo lindo cheio de cores e freelances, mas eis que ela começa trabalhar para uma editora, depois de ficar conhecida por fazer a capa do livro "Escrito na Areia" de Lucy Closs (já falo dela). Nesse novo trabalho, ela conhece um cara que é totalmente o seu oposto, principalmente no quesito cores. Mas até aí não existe um grande problema, tirando o fato dele ser o chefe dela e começar a dar pitaco na sua arte.


Na segunda parte do livro, conhecemos Lucy Closs, uma escritora que acaba de ficar famosa com a sua obra "Escrito na Areia" (ou algo assim, mas menos brega). Todas as histórias envolvem algum tipo de romance e o da Lucy foi o que eu mais shippei. A história gira em torno das gravações do livro dela. Toda aquela emoção de ter o seu primeiro livro virando filme transborda nas páginas e a Clara soube muito bem trabalhar essa empolgação da personagem. Lucy faz questão de acompanhar todas as gravações, mesmo não se entendem muito bem com o diretor do filme. Ela se mete em algumas encrencas com o seu jeito meio espalhafatoso de lidar com as coisas. Uma personagem muito divertida.



Por último, mas não menos importante, temos a Ana Luna, a atriz que fará a personagem principal do filme "Escrito na Areia". Eu tenho medo de falar muito dessa personagem, pois posso acabar dando algum spoiler. Acredito que a Ana Luna seja o ponto de surpresa do livro. Assim como as outras personagem, ela está no início de carreira e surge uma grande oportunidade que muda tudo em sua vida. O que vemos é Luna tentando aprender a lidar a com a fama em um meio que é muito complicado você ser você mesmo. Lendo o livro, eu associei muito a imagem da personagem com a atriz Kristen Stwart que após fazer um filme de grande sucesso (Crepúsculo e Cia) teve que começar a lidar com todo esse assédio decorrente da fama. 

Eu lembro que em uma entrevista que vi das autoras, elas falaram que cada personagem já existia em seu banco de ideias e que elas acharam uma boa ideia juntá-las e, de fato, foi. Eu só imagino a trabalharei que deu para deixar a história das três redondinhas, pois todas as personagens estão uma na história da outra ao mesmo tempo que também estão fazendo as suas coisas. E é preciso ter muito cuidado para não deixar escapar nada. 

Eu gostei muito da capa do livro e o acabamento, mas achei as letras muito pequenas. Mas acredito que isso tenha a ver com a quantidade de páginas. Não sei se vocês sabem, mas quando você paga a impressão de uma tiragem de livros, a quantidade de páginas influência bastante no preço. 

Essa é uma obra nacional de jovens escritoras que vale muito a pena ser apreciada, principalmente se você gosta do tema Chick-lit. As meninas não deixam a desejar para nenhuma autora internacional!


HISTÓRIA
(4/5)



CAPA/EDITORAÇÃO
(4/5)

Comentários

  1. Oi Nina! Parabéns pelas visualizações! Meu blog também é pequeno, então sei como se sente ^^
    Você está muito bem de amizades, hein! Conheci a Clara numa feira que estive em Niterói e conheci a Thati quando ela esteve aqui em São Paulo, a Aimee ainda não tive oportunidade, mas vontade é o que não falta.
    Quero ler esse livro! Primeiro ele já tinha me conquistado pela capa e agora estou querendo conferir como as meninas conseguiram entrelaçar as três personagens sem deixar pontas soltas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Eitaaaaaaaa... Eu quero, capas lindas.
    Mocassins eu deixei aqui, já faz um tempo, pra comprar, vou juntar os dois e na próxima compro :)

    Amo chick-lit né... a maioria dos livros que li são neste estilo.

    xeru

    ResponderExcluir

Postar um comentário