Resenha: Fahrenheit 451

Eu estou há tempos para fazer a resenha de um dos livros mais inteligentes que eu já li na vida ~ em 24 anos menos uns 7 que eu ainda não sabia ler.  Eu estava adiando, porque queria ver o filme baseado no livro. Porém, eu ando sem saco para ficar no PC.

Enfim, esse é um dos livros que ~ sem brincadeira ~ todo mundo deveria ler. Principalmente, amantes dos livros. Fahrenheit 451 é um livro de ficção científica da década de 1950 ~ se não me engano. E essa jovem-arada que está toda imersa em distopias, deveria ler esse livro também. E aí sim, passarão a ter medo de o quanto esses livros podem ter um fundo de "previsão".



Fahrenheit 451 conta a história de um bombeiro no futuro, por volta dos anos 2000 ~ ou seje, agora. Só que ao contrário do que os bombeiros normalmente fazem, os bombeiros desse universo são contratados para botar fogo ~ pausa dramática ~ em livros!! 

Apesar de isso não corresponder literalmente com a nossa realidade, o livro consegue descrever de uma forma perfeita o impacto das novas tecnologias, em substituição dos livros (que passam a ser proibidos), na vida em sociedade, seja no âmbito público como no privado. 

Na minha opinião,  apenas uma leitura é insuficiente para entender a grandiosidade desse livro, que apesar de denso ~ o que pode dificultar um pouco a leitura ~ é pequeno. Eu ainda não tive a oportunidade ~ vulgo, vergonha na cara ~ para ver o filme. Mas acho uma boa alternativa para quem não tiver paciência para um clássico do meio do século passado ~ apesar do filme também ser quase da mesma época. 

A questão é que da forma que for, todos deveriam ter contato com essa obra, até mesmo como forma de refletir sobre as nossas relações atuais! 

Curiosidade: o nome do livro faz referência a temperatura em que o papel pega fogo na medida em Fahrenheit.


FICHA TÉCNICA DO LIVRO

FAHRENHEIT 451
Sinopse Globo Livros:
O livro descreve um governo totalitário, num futuro incerto, mas próximo, que proíbe qualquer livro ou tipo de leitura, prevendo que o povo possa ficar instruído e se rebelar contra o status quo. Tudo é controlado e as pessoas só têm conhecimento dos fatos por aparelhos de TVs instalados em suas casas ou em praças ao ar livre. A leitura deixou de ser meio para aquisição de conhecimento crítico e tornou-se tão instrumental quanto a vida dos cidadãos, suficiente apenas para que saibam ler manuais e operar aparelhos. Fahrenheit 451 tornou-se um clássico não só na literatura, mas também no cinema. Em 1966, o diretor François Truffaut adaptou o livro e lançou o filme de mesmo nome estrelado por Oskar Werner e Julie Christie.
Autor: Ray Bradbury
Editora: Globo Livros
Páginas: 215
Ano: 2003

Comentários