Resenha: DUFF

Olá pessoas!
Espero que vocês tenham lido e gostado da resenha de Raio de Sol, que fiz semana passada. Se você não leu ainda, é só clicar aqui.

Ainda atendendo os pedidos de vocês nos meus vídeos do Youtube por resenhas, trouxe mais uma! Dessa vez o livro escolhido é DUFF - Designated Ugly Fat Friend.

Eu comprei o livro depois de assistir o filme no Netflix. Me diverti muito com a Bianca Pipper e suas confusões na versão em vídeo! Quando descobri que era um livro, nem pensei duas vezes! Mentira, pensei duas vezes sim porque sou pobre, mas tava em promoção.

O livro é escrito por Kody Keplinger, publicado pela GloboAlt e tem uma capa fofa demais!




Qual não foi minha surpresa ao descobrir que ele tem POUQUÍSSIMO a ver com o filme?! Ou melhor, que o filme tem pouquíssimo a ver com o livro. Claro, isso é normal. Nunca vou me esquecer de Percy Jackson e o Mar de Monstros, por exemplo (se você também é fã de Percy, tenho certeza que entende minha dor). Todavia, DUFF não é um livro de difícil adaptação, que necessitaria de muitos recursos ou efeitos extraordinários.

DUFF é a história de uma menina chamada Bianca que vivia uma vida muito tranquila, obrigada. Até que Wes, o maior galinha da escola, numa conversa informal a chama de DUFF.

DUFF??


Pois bem, o que acontece no filme é que Bianca - revoltada com essa nova realidade - pede ajuda de Wes para deixar de ser uma DUFF, afastando tudo e todos no processo (inclusive suas melhores amigas, de que ela seria uma DUFF). Ou seja, não sobrou uma viva alma no processo para sacudir a menina e dizer: MIGA, SUA LOUCA, QUER PARAR DE OUVIR ESSE IDIOTA? Todos nós já sabemos como isso termina, não é mesmo? O galinha e a menina esquista! Um clássico clichê que todos adoram criticar, mas assistem mesmo assim.

E o que acontece no livro?! Pois é. O que acontece no livro é que Wes e Bianca se envolvem em uma intensa relação de amor/ódio, que por muitas vezes acaba com os dois sem roupa na cama dele.

Acho que esse foi o principal motivo de terem alterado tanto a história, do livro para o filme. Ainda que o livro não seja descritivo demais (longe de ser um romance erótico, por exemplo), cenas de sexo são frequentes. Talvez isso cercearia o público do filme, que é tipicamente de crianças e adolescentes. No final das contas, o cerne da história continua ali. A diferença é que ao invés dos dois se apaixonarem comprando ~roupas transadas~ para Bianca, como no filme, os dois se apaixonam sem roupa mesmo.



O livro também vai muito além da simples questão de Bianca ser ou não ser DUFF e o que isso significa na realidade do Ensino Médio. Trata de temas muito importantes nesse período como sexualidade, maturidade, bullying, divórcio, uso de álcool (Bianca tem um histórico familiar complicado, que é bastante discutido no livro e tem cenas belíssimas) e amor próprio.

O que eu acho é que, apesar de diferentes, as duas obras tem seu valor. Creio que a melhor forma de interpretar seja considerando as duas como obras distintas, entendendo o filme como ligeiramente inspirado no livro. Não sei dizer qual dos dois é mais legal: ambos cumprem seu papel e nos divertem bastante! Todavia, o livro é mil vezes mais profundo e trata da superação do rótulo com muito mais energia. Vale muito a leitura!

A mensagem dos dois é a mesma, com intensidades diferentes. Rótulos só são rótulos, o que importa é que tem dentro do seu potinho. Muitas vezes precisamos ignorar o julgamento alheio, levantar a cabeça e seguir em frente - como se estivéssemos sempre usando uma linda coroa transparente - que nunca pode cair. Podemos aprender muitas lições de amor próprio com a Bianca! Que se dane o que os outros pensam sobre você, o que importa é o que você pensa sobre você... Seus valores, suas crenças e sua consciência. Somos todos lindos e lindas, do nosso jeitinho especial! <3

Comentários