Resenha: Pela Janela Indiscreta

A primeira vez que vi a autora Aimee Oliveira foi no lançamento do seu livro junto com a Clara Savelli há alguns anos. Só fui conhecê-la realmente, ano passado na Bienal do Livro do Rio, onde comprei o seu livro. Meses se passaram e finalmente li o "Pela Janela Indiscreta" ~ desculpa a demora, Aimee. Mal eu sabia que quem estava perdendo, nessa história de postergar a leitura, era eu. E se você for na Bienal do Livro de SP, não perca a chance de conhecer essa autora e o seu trabalho!


A história começa com Frederick, o típico sujeito garanhão, que conta que desenvolveu uma atração pela sua vizinha de janela. Ele se preocupa bastante em se esconder dela, ou pelo menos o seu rosto. As coisas mudam quando eles se encontram na rua. Aos poucos Fred se vê envolvido com todas as indecisões de Louise. E, como explicar que você é um stalker de janela? 



'Pela Janela Indiscreta' é um romance envolvente com um toque hot. Eu digo um "toque", porque já li romances hots e o PJI está muito longe disso. Os momentos mais calientes foram colocados de modo muito apropriados para dar verossimilhança para atração que os dois sentem. Afinal, antes de se apaixonar pela personalidade da Louise, Fred se apaixonou pelo que ele via através da janela. E estamos falando de dois jovens adultos que, como a maioria, possuem uma vida sexual ~ nada mais natural.

Quero destacar também a escrita da autora. Aimee desenvolveu a história com narradores em primeira pessoa que falam diretamente com o leitor. Eu acho isso maravilhoso! É como se o personagem ganhasse vida e aos poucos tornasse sua(seu) uma amiga(o) contando uma história. Durante a leitura, descobri algo que me encantou ~ não é spoiler, porque qualquer pessoa que folhear minimamento o livro, poderá ver isso ~, o livro é dividido em três partes (mais o prólogo). 

Capa azul, 1ª edição, pela editora Com Arte. A 2ª edição saiu pela Editora Garcia. 
Como eu já disse, a primeira parte é narrada pelo Frederick e fiquei impressionada com a capacidade da Aimee em empregar os elementos e construir esse personagem que realmente parece o típico homem que se acha o maioral. A segunda parte ~ para minha surpresa típica de quem não folheia o livro ~ é narrada pela Louise! Acho ótimo ver a história pelo ponto de vista de mais de um personagem. E a terceira parte, então? A autora fez um trabalho incrível colocando em cada capítulo um personagem narrando e dando continuidade a história através do ponto de vista de cada um, se perder o fio da meada ~ incrível!

No começo da postagem, eu dei a dica para quem for na Bienal do Livro de São Paulo, mas se você não puder ir e ficou interessado na história, entre em contato com a autora através da página do Facebook: Pela Janela Indiscreta.  

E fiquem atentos que amanhã tem novidade aqui no Psicose! 

Comentários