Canal da Sophie Kinsella

Qualquer leitor que conhece o PN desde 2015 sabe o quanto eu adoro a autora Sophie Kinsella. Agora em maio, a Editora Record lançou o Minha Vida (não tão) Perfeita. Mas foi através do anúncio de um novo livro, que será lançado em 2018, que eu fiquei sabendo da existência do canal dela.


Até agora a autora tem apenas quatro vídeos postados no YouTube. No entanto, já é possível ver que o seu bom humor não fica apenas nos livros. Em um deles, Sophie faz uma comparação entre espiões e escritores. E o primeiro vídeo foi uma tentativa da autora falar em italiano para agradecer aos fãs que ela encontrou em sua turnê pela Itália.
Surprise Me foi o foco do último vídeo. Ela disse que tinha acabo de terminar de escrever o livro e queria dividir essa alegria com a gente. A história é sobre um casal que ao se darem conta que terão muitos anos juntos pela frente decidem que precisam surpreender um ao outro todos dias (se eu não entendi errado). Mas como estamos falando de Sophie Kinsella é claro qu…

A importância de ter um lugar para anotar

Para essa postagem fazer o mínimo de sentido, você precisa entender dois fatos sobre a minha pessoa:

1) Eu sou muito esquecida. Sério. Minhas melhores amigas desde a época do colégio até me apelidaram de Dory (e juro que nem é - só - por causa da nossa semelhança física). Esqueço nomes, rostos, matérias que aprendi na faculdade e até os enredos dos livros que eu já li ou filmes que já vi há tempo (lembro muito vagamente).



2) Eu leio muito. Desde sempre. Lembro até hoje que minha mãe ficava chocada na minha infância porque eu devorava os livros que ela me dava em poucos dias (às vezes até poucas horas). Leio até hoje muito rápido e numa frequência que eu jurava que era alta.



É exatamente esse o ponto da postagem: eu jurava.

Alguma coisa enferrujou dentro de mim de uns tempos para cá e eu demorei para entender a situação. No final dos últimos anos eu olhava para trás e sentia que eu tinha lido MUITO, mas será que tinha lido mesmo? Será que foi uma coisa constante e frequente na minha vida? 

Nos primeiros meses de 2017 fiquei com a mesma sensação de que "leio muito", mas estava sentindo que não estava na minha melhor forma. Então, em uma saída para o shopping, comprei um lugar para anotar. 



E isso tem mudado minha percepção de tudo.

Em abril eu percebi pelas minhas anotações que eu só li um livro: Victoria e o Patife. Na verdade, reli. Já conhecia a história porque tenho a versão em inglês. Devorei a tradução em menos de uma noite mas, além dele, não li mais nada.

Pensei eu: deve ter sido porque gastei tempo demais vendo filmes e séries (que também são um grande vício), mas eu espertamente também monitorei todos eles do outro lado do caderno (virei de cabeça para baixo e fiz uma lista nova de tudo que assisti, rs). Para minha surpresa, assisti bem mais coisas do que li, mas não o suficiente para impactar tão negativamente minhas leituras.

Enquanto isso, a pilha de livros não lidos na minha estante infinita só aumenta...

Uma vergonha para o mundo? Talvez. Mas, com certeza, um sinal para mim mesma. De que tem alguma coisa errada na minha vida, na minha rotina e nas minhas motivações. Não achar tempo para ler! Para fazer a atividade que eu mais gosto de fazer na vida (além de escrever) só pode ser uma bandeira vermelha de que estou caminhando errado na minha vida.

Ter um lugar para anotar me fez perceber muitas coisas sobre mim mesma. Inclusive que eu sou uma pessoa que PRECISA estar anotando tudo o tempo inteiro. Talvez você seja também. Que tal fazer um teste? Arrume um caderninho, uma folhinha, uma tabela do excel ou qualquer coisa do gênero e tente monitorar suas leituras, as séries que você vê, os filmes que você assistiu. De repente os resultados vão dizer algo para você, como disseram para mim.

Depois me contem, tá bem?


Comentários

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk sou que nem você. Sempre saiu com um caderno na bolsa. <3
    beijos
    www.omundodatutty.com

    ResponderExcluir
  2. Preciso fazer isso urgentemente hahahaha Eu sempre tenho um caderninho a mão, mas quase nunca anoto nada. Acho que por falta de costume, sei lá. E eu também sou muito esquecida. Estou precisando adquirir essa prática.

    ResponderExcluir

Postar um comentário