GHOST IN THE SHELL: 3 coisas que você precisa saber sobre o original

Devo começar essa resenha avisando que eu sou um grande fã do filme original de Ghost in the Shell. Existem vários motivos que tornam esta animação uma obra-prima sem igual, destes, eu gostaria de apontar alguns que acredito serem importantes para uma maior aproveitamento e compreensão do foco do filme da Paramount.



1.O mundo de Ghost in the Shell é um personagem a parte. 

Scott McCloud em sua famosa obra, Understanding Comics: The Invisible Art, classifica as transições quadro a quadro vistas nos quadrinhos em diferentes categorias, com cada uma dando um tom distinto para a narrativa.

Dentre elas temos uma vista mais comumente no mercado oriental, que é a de aspecto para aspecto, que consiste de um quadro com foco no ambiente para outro com o mesmo foco, sem necessariamente deixar claro se há um avanço no tempo ou não, criando-se uma sensação incomum, permitindo que o mundo seja mais do que apenas um plano de fundo, dando espaço para que se comunique e se expresse de forma única.

E claro, a animação adapta este formato de narrativa de maneira magistral. Então quando o mundo que o filme apresenta tiver momentos de tela, curta esse tempo e tente entender o que ele tem a dizer.

2. O título é importantíssimo

Poucas foram as vezes que eu vi uma obra levar um título tão significativo e importante como esse. Sua origem é tanto uma inspiração filosófica constante na série, quanto uma homenagem a obra do escritor Arthur Koestler (conhecido pelo seu forte cunho psicológico), The Ghost in the Machine.

Sendo o Ghost uma representação da auto-consciência e da identidade, enquanto a shell "concha" seria o corpo que o envolve. Uma pessoa que não possui mais um corpo orgânico, mas ainda vive, ainda seria considerada uma pessoa? Em um mondo onde as pessoas estão tão conectadas às máquinas a ponte de poderem ter suas memórias hackeadas e modificadas, o que as define? Suas lembranças falsas, ou suas atitudes?


Esse é o tipo de questionamento que a obra criada por Masamune Shirow se preocupa em discutir.

3. Não é uma adaptação completa da animação original

Sim, apesar de haver muitas homenagens à animação original no que já foi divulgado nos trailers, o filme não seguirá a mesma história. Na verdade ele irá se basear em uma saga mais avançada do mangá (quadrinho japonês) original, como foi dito pelo diretor.


Ou seja, ninguém tem desculpa para não ver essa obra prima antes de assistir ao filme! 😁 Acredito que sabendo estas características da animação original, você poderá assistir ao filme com um maior conhecimento de algumas das características mais marcantes da produção de 94.

Fonte: Link, Link

Comentários