O que andei lendo... Resenhas no Estante Diagonal

Agora em novembro está fazendo um aninho que faço parte do blog Estante Diagonal. Lembro como se fosse ontem quando a Rai, do O Outro Lado da Raposa, me indicou para a Joi. Também lembro que tive muito medo. Afinal, eu estava me propondo a fazer parte de um projeto de outra pessoa - e se eu estragasse tudo? Ainda mais porque o Estante é mais focado em em resenhas de livros, filmes, série... Enquanto que o PN é essa loucura que vocês conhecem.


Como tenho dedicado minha leitura as parcerias do Estante Diagonal tem sido mais difícil aparecer resenhas aqui no PN - mas fiquem tranquilos que nossa equipe está planejando trazer bastante resenhas nessas férias de verão. Então, de tempos em tempos, eu gosto de compartilhar aqui um pouco do que eu andei lendo para o Estante e que já tem resenha por lá. Se você quiser ver o último post sobre as resenhas, clique aqui

Vou começar pelo O menino em um milhão. Esse foi um livro lindo que recebi da Editora Arqueiro e não estou falando apenas esteticamente. A história guardada nessas páginas é fazer qualquer um se emocionar. Sabe aquele livro recheado de amizades improváveis que nos trazem lições lidas? Com certeza, esse foi um dos meus favoritos desse ano. 


Em junho, eu li O Segredo de Heap House. Confesso que não criei muitas expectativas sobre a história quando o escolhi para ler, o que tornou a experiência de leitura uma surpresa maravilhosa. Ele tem uma pegada Tim Burton com coisinhas estranhas e fofas ao mesmo, com uma pegada melancólica e dark, ainda sim divertida. Já estou aqui ansiosa para a continuação! 


Um dos presentes mais valiosos que ganhei nesse um ano resenhando para o Estante Diagonal foi ter conhecido o trabalho do Haruki Murakami. Mais uma vez tive a oportunidade de ler um livro do autor. Romancista como vocação, mais do que um manual de como escrever, é uma conversa com Murakami sobre como ele enxerga o mercado, dicas e suas "filosofias de vida". 


Eu também li Confissões de um garoto tímido, nerd e (ligeiramente) dramático. Essa foi a minha segunda experiência lendo um livro da Thalita Rebouças. Eu já disse aqui no PN que não gostei muito do Confissões de um garota por alguns motivos da própria história em si. Já confissões de um garoto se mostrou muito melhor desenvolvido e com mais profundidade. Não virou um favorito da vida, mas gostei bastante da leitura.

O que dizer do livro A pequena livraria dos corações solitários? Se você espremer o livro, só vai sair clichê dele (haha) e eu amei! Tanto que cheguei até a fazer um sorteio do livro através do meu Instagram. Assim, como eu disse é puro clichê e a Clara, por exemplo, leu e não curtiu muito. Eu me diverti horrores e compartilhei das agonias da personagem principal. Esse livro faz parte de uma série que ainda está sendo lançada e cada livro trará uma história dos personagens que trabalham nesse livraria. 


 
Das cabines de imprensa que eu fui, eu amei Soundtrack. Ele é meio nacional, meio internacional. Um filme muito tocante e muito bem produzido com um roteiro que amei. Selton Mello vive um fotógrafo que viaja para um estação de pesquisa no meio do polo norte ou algo do tipo. Lá ele encontra um grupo de pesquisadores e conhecemos um pouco da história de cada um. Também assisti Transformers: o último cavaleiro e, infelizmente, foi bem decepcionante.  

Fazer parte do Estante Diagonal me permitiu ousar mais nas minhas escolhas literárias, algumas vezes saindo da minha zona de conforto. Da Darkiside, eu li 1977 - Enfield, uma espécie de documentário escrito sobre casos de poltergeist em uma casa no subúrbio de Londres. Também li Donnie Darko, o roteiro do filme. O livro também traz alguns textos e entrevistas explicando um pouco do filme e contando sobre os bastidores. Quando aceitei ler o livro, eu não imaginei que ia gostar tanto da história.


Mais perto da Bienal, eu fiquei muito curiosa em conhecer o trabalho de algumas autoras que estavam vindo para o Brasil. Uma delas foi a Gayle Forman! Na realidade, essa não foi uma leitura de parceria, eu mesma que comprei o livro, mas a resenha saiu no Estante. Eu simplesmente Quando eu parti, diferente das outras obras da autora (que ainda não li), esse não é um YA. Gayle conta a história de uma que acaba fugindo de sua vida. Eu gostei tanto da história que também fiz um post aqui no PN sobre algumas coisas que ela me fez pensar. 


Mas nem tudo são flores quando você escolhe alguns livros para ler. A Montanha, apesar de ter gostado do livro no geral, foi um dos livros que mais demorei a avançar na leitura. Nem sempre o livro flui como você imaginava ou não está muito no clima do gênero. 

Outro livro que amei ter recebido foi O Diário em Tópicos - até voltei a fazer o meu bullet journal, dessa vez de forma mais coerente e fácil, graças ao lançamento da Editora Sextante. Aliás, eles mandaram um kitzinho maravilhoso. 


O menino múltiplo foi uma das leituras que posso classificar como fora da minha zona de conforto. Para 2018, eu vou querer tentar trazer uma variedade maior de leituras de outros países fora do eixo Estados Unidos - Inglaterra. Para quem não sabe, a autora Andrée Chedid é libanesa e a história se passa entre o Egito e Paris, um tanto trágica, mas muito bonita!

O Estante Diagonal foi responsável pela minha primeira releitura. O menino do pijama listrado marcou bastante a minha vida como leitora. Ele foi uma escolha feita entre amigos para um projeto da escola isso há quase dez anos e agora tive oportunidade de reler através da edição comemorativa ilustrada, que está uma graça! 

Depois colocar Murakami na minha vida, o Estante também foi responsável por abrir as portas para mim da Chimamanda - que mulher incrível! Eu tive a oportunidade de ler os contos dela que foram reunidos no livro No seu pescoço


Eu ainda fiz resenhas de alguns livros mais antigos que tinha aqui na minha estante da Editora Intrínseca e fui representando o Estante no evento de livreiros e blogueiros da Cia. das Letras

O Estante Diagonal me proporcionou tantas experiências literárias e de vida que não sei nem como agradecer as meninas que fazem parte dessa equipe e, principalmente, a Joi. Talvez começando com um "obrigada" seja um bom começo. Então... Obrigada, meninas! E olha, falta pouco mais de um mês para o ano acabar e se você acha que é só isso, está muito engada, ainda teremos muitas outras resenhas e posts por lá. 

Comentários

  1. Olá!!!
    Que bacana!
    Amei a ideia do post!
    Tenho Quando eu parti aqui pra ler, mas ainda não tive oportunidade!
    Li O menino do pijama listrado, mas não gostei muito! Achei que deixou a desejar, mas que bom que você gostou!

    http://sankasbooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário