Resenha: Jogo de Sedução - Nora Roberts

Eu só tinha lido um livro de Nora Roberts na vida. Dois, se você considerar que era uma edição que vinham dois livros em um só, rs. Se chamava 'Amor de Verão' e tinha os as histórias: Segunda Natureza e Retratos de um verão. Já fazia anos que eu não tocava em nada da autora, mas a minha lembrança de sua forma de escrita, enredo e desenrolar de fatos era bem diferente daquela que encontrei em Jogo de Sedução. Talvez eu também só tenha ficado mais velha e mais calejada, mas acho que gostei mais de Amor de Verão, haha! Talvez eu devesse reler.

Mas vamos lá! Hoje estamos aqui para falar de Jogo de Sedução, recebido pelo blog da Harlequin. Esse livro é o primeiro da série "Clã dos MacGregors". Pelo nome, acho que dá para você imaginar que os MacGregors são uma família, rs. Logo no início do livro tem uma árvore genealógica para você se situar e entender quem faz parte do clã. Spoiler: são 10 livros na série, então é gente para caramba. A parte boa é que nem todo mundo aparece nesse livro e, caso você fique confuso com os nomes, é só correr na árvore.



Enfim, nossa protagonista se chama Serena (MacGregor, obviamente) e ela é aquele combo clichê desse tipo de livro: linda, deslumbrante, sedutora sem nem tentar e incrivelmente inteligente. Seus pais são ricos e muito famosos, seus irmãos também tem a vida perfeita... Mas ela está cansada! Sabe? Então, resolve se jogar em um cruzeiro. Para passear e pegar sol? Nada disso. Para trabalhar! Ela quer a experiência de ser desconhecida. De não ser nada além de uma simples funcionária que mora em um quartinho minúsculo. Por isso, vai ser dealer das mesas de 21 do cassino do cruzeiro, enquanto pensa no que quer fazer da sua vida.



É claro que ela é excelente dealer e capaz de ler pessoas como ninguém. Por isso, começou a categorizar os hóspedes do cruzeiro de acordo com o tipo de apostador que ela acha que eles são (e ela normalmente está certa). Até o dia que um novo hóspede (belo, jovem, sedutor e arrebatador) senta na sua mesa e a deixa desconcentrada. Justin é um mocinho típico de romances com pitada erótica e alguém precisa falar para ele baixar a bola um pouquinho... Seu comportamento muitas vezes é de macho dominador, que não aceita ouvir não e que quer fazer valer suas vontades.

Desde que os dois se veem naquela mesa de 21, Justin fica obcecado (melhora, migo) e começa a perseguir Serena. Ela também está interessada no moço, mas não quer se envolver com um hóspede de onde trabalha. Mesmo que tente fugir das investidas de Justin, ele sempre acaba se impondo e fazendo-a ceder. A sensação que eu tive é que pelo menos metade do livro é só esse jogo de gato e rato dos dois, sem que nada de realmente relevante aconteça.

Até que o pai de Serena aparece no jogo para dar a fagulha que o livro necessitava. Não quero contar muito para não estragar o que, para mim, deu o toque gostosinho no livro. Mas digamos que nosso papai aqui gosta de se fazer de cupido... 

Uma leitura super rápida, distrativa e que qualquer fã de romances eróticos vai curtir (se deixar de lado os clichês recorrentes desse gênero).


Mais sobre o livro

Título original: Playing the odds
Autora: Nora Roberts
Ano: 2017
Editora: Harpercollins Brasil
Páginas: 191

Comentários