Crítica: O Príncipe e eu

Olha que inovador, gente? Um filme sobre PRÍNCIPES que se passa na época de Natal. Só nesse desafio já é o segundo sobre esse assunto. Assim como seu irmão, "O Príncipe e eu" também está no Netflix e é uma comédia romântica gostosinha sobre o espírito de Natal, que envolve sua cota de dramas familiares e castelos na neve.


O filme conta a história de Jules, uma jovem falida que é a guardiã de seus sobrinhos, uma menininha linda (mas muito arteira) e um adolescente descompensado, rs. Os dois são filhos da sua irmã, que morreu no Natal passado em um trágico acidente com o marido. A vida de Jules está completamente sem controle enquanto o Natal se aproxima de novo. Ela acabou de perder o emprego, a babá que a ajudava com as crianças se demitiu depois de mais algumas travessuras dos dois e ela não sabe como vai pagar as contas...


É quando ela recebe o contato do mordomo do avô das crianças, querendo chamá-las para passar o Natal com ele. O velhinho, é claro, é podre de rico. A luz no fim do túnel? Nada disso. Jules morre de ranço dessa família, porque o grande magnata nunca aceitou o casamento do nobre filho com a irmã de Jules, uma americana sem título, nem fortuna. Desesperada, ela pede aos céus por um sinal e as passagens para a cidade do avô caem pela porta, como mágica, rs. Pronto, lá vão os três para o meio da neve, tentar viver o Natal em uma família onde não se sentem bem recebidos...

Favor não se enganar com essa carinha de vovô.
É claro que as crianças tem um tio. E é claro que ele é lindo. E, obviamente, ele também é um príncipe. O avô das crianças não é um rei, mas a avó delas tinha o título que fez com que Aston, nosso príncipe da história, herdasse o título. Jules e Aston já começam o relacionamento com um esbarrão acidental no corredor (amo! Um clássico de comédias românticas) e um comentário stalker da parte dela (ela diz que o conhece através das fotos que a irmã mostrava para ela da família do marido, rs).



A presença de Jules e dos sobrinhos no castelo vira tudo de cabeça para baixo. Primeiro porque eles querem celebrar o Natal em uma família que odeia a data, pela dor da perda do filho. Segundo que Jules é despojada, engraçada e estabanada, enquanto todo mundo é rígido, sisudo e sério - inclusive a namorada ensebada e cheia de títulos de Aston. Com a ajuda de alguns trabalhadores da casa, Jules tenta mudar o rumo das coisas e aproximar a família. O problema é que, no processo, ela pode ficar perto demais de Aston...



Uma gracinha de filme, me fez até chorar! Mas não é novidade que esses filmes de Natal sempre me arrancam lágrimas :). Minha única crítica é que o título não tem nada a ver, hahaha. O fato de Aston ser um príncipe é bem irrelevante para a história. Leve, com um romance gracinha, uma história de superação familiar e crianças amor. Um filme para ver com toda a família <3. 

O Príncipe e Eu
Ano: 2011
Classificação: 10 anos
Duração: 1h30min
Gêneros: Natal com a Netflix, Filmes para a família e crianças, Dramas para a família, Comédias para a família, Comédias, Dramas
Estrelando: Katie McGrath,Sir Roger Moore,Sam Heughan
Sinopse: A convite de um parente, a jovem Jules Daly viaja com os sobrinhos para um castelo na Europa, o cenário perfeito para a moça se encantar por um príncipe.

Comentários

  1. Assisti essa semana! Achei lindo o filme! To assistindo todos os filmes de natal no netflix.
    bjo

    ResponderExcluir

Postar um comentário