Como a música influencia nossa escrita

Olá, amores!

Quem já leu algum livrinho meu ou conhece pelo menos os títulos, deve saber que a música tem muita influência nas minhas histórias. Afinal, não é a toa que eu tenho um livro chamado Acampamento de Inverno para Músicos (nem tão) Talentosos. Tiete! também é um livro muito musical e Chinelo e Salto Alto tem uma quote de música na abertura de todos os capítulos. E, além disso, todos os meus livros tem uma playlist lá no Spotify.

Mas, mesmo assim, o link pode não parecer tão claro. E, obviamente, nossos processos criativos podem ser diferentes e você pode ter horror só de pensar em misturar música com literatura. Se for esse o caso, talvez essa coluna não seja para você. Porque hoje quero falar sobre como a música influencia meu processo de escrita e me ajuda a produzir melhor.




A música funciona basicamente de três formas principais para mim: 

a) Música como forma de inspiração quando estou bloqueada
As playlists são para que os leitores possam imergir na história, é claro, mas também para que eu mesma entre na vibe da história. Minha vida literária é mega atribulada e, muitas vezes, estou escrevendo mais de um livro ao mesmo tempo OU escrevendo um ao mesmo tempo que reviso outro. As playlists me ajudam a virar a chave de um livro para o outro, desbloqueando meus pensamentos e me colocando de volta no meio do turbilhão dos sentimentos de meus personagens. Sempre que estou empacada, confusa ou perdida com a história, recorro às listas que criei para elas. Pauso a escrita e vou ouvi-las, pensar na vida e esperar a inspiração bater na porta. Já falei um pouco sobre isso aqui no blog, numa coluna sobre inspiração.



b) Música para ajudar quando eu acho que não consigo expressar tudo que quero
Às vezes mesmo depois de me esforçar muito ou de passar o dia mergulhada na playlist e nas cenas, eu sinto que não fui capaz de expressar exatamente o que eu desejava para aquela parte específica do livro. Mais do que isso, eu sinto que outra pessoa conseguiu muito melhor que eu. Essa pessoa em questão é o compositor/cantor de alguma música, que com certeza seria a que tocaria no fundo daquela cena, se estivéssemos dirigindo uma série ou um filme. Por isso, às vezes eu uso alguma música como epígrafe do capítulo ou coloco o clipe lá no final. O pacote completo!

c) Música para ser a cereja do bolo do livro
Algumas histórias não existiriam sem música. Por exemplo, Acampamento de Inverno para Músicos (nem tão) Talentosos. Como é que eu vou falar de músicos sem falar de músicas? Não tem como. Nesse caso, a música é intrínseca ao projeto e este não sobrevive sem ela. Ao mesmo tempo, ela é a cereja do bolo. Como assim? Explico: eu poderia escrever sobre o Acampamento sem me usar de músicas atuais, ou sem citar cantores/bandas que todo mundo ama. Mas qual graça isso teria? Os livros acabam tendo uma trilha sonora próxima e eu aposto que quem leu Acampamento não consegue ouvir Thinking Out Loud sem lembrar de Eduardo e Amanda :)



Então, fica o desafio e a sugestão: tente usas músicas como catalisador de sua produção! Existe uma grande chance de ser incrível :)

Comentários