Como colocar livros para vender em livrarias?

Quando somos autores independentes, costumamos ter muita dificuldade em conseguir espaço para comercialização de nossos livros. Eu já expliquei aqui no Psicose da Nina os motivos para o livro nacional ser tão caro e disse que, na cadeira produtiva, as livrarias ficam com 50% do valor do preço de venda do livro. Muitas vezes isso não cabe no orçamento do autor nacional, que já bancou a publicação e está com as contas todas vermelhas, rs. Mas digamos que no seu orçamento caiba e você queira saber como realizar o sonho de ter um livro vendendo em alguma rede de livrarias tradicional...

Da primeira vez que eu vi meu livro em exposição em uma livraria eu chorei, rs.
Não vai ser fácil, já te deixo adiantado. A maior parte das grandes redes não aceita negociar a inserção do livro com autores independentes, mas vale a pena perguntar. Suas chances são maiores com livrarias locais e menores ou com redes que já estão acostumadas com esse processo (como a Livraria da Travessa, por exemplo). Todavia, existem três requisitos que são necessários para qualquer livraria cogitar aceitar seu livro. Vamos lá:


1) Você precisa ter um CNPJ. O que basicamente significa dizer que você precisa ter uma empresa.
Um Microempreendedor Individual (MEI) é suficiente. O processo para se tornar MEI é bem simples, todo online e pode ser feito em, sei lá, quinze minutos. Você precisa ter um CNPJ justamente pelo passo seguinte, que é:

2) Você precisa ser capaz de emitir notas fiscais
Algumas livrarias aceitam que você entregue as notas fiscais avulsas, que são um tipo de nota fiscal oficial que vende nas papelarias, para quem ainda não tem autorização da Secretaria da Fazenda Estadual para emissão de notas. Todavia, esse aceite está cada vez mais raro. Por isso, se você quer aumentar suas chances de conseguir colocar seus livros para vender nas livrarias, você precisa procurar informações sobre como MEI pode emitir notas fiscais junto da Secretaria da Fazenda do seu Estado. Atenção: procure saber como emitir notas fiscais eletrônicas, que são as mais pedidas pelas livrarias atualmente. Não vejo motivo para entrar muito aqui nessa história, porque o processo varia de Estado para Estado.

3) Você precisa ter uma logística para entrega dos livros
A livraria não vai mandar buscar os livros na sua casa, na sua empresa, na gráfica ou onde for. Você que vai ter que levar os livros lá, do seu jeito. Por isso, não me parece muito inteligente você fechar o envio de livros para livrarias que são muito distantes do seu alcance geográfico. Como é que você vai mandar o livro para lá? Nem todas aceitam envios por correio, mas costumam aceitar por transportadora. De todo modo, a forma como você vai fazer esse transporte é um problema que você precisa lidar e a livraria não vai ter nada a ver com isso: ela só quer que os livros cheguem no prazo certo.


Se você cumpre todos esses requisitos, vamos então passar para as dicas mais específicas:

1) Pergunte na livraria que você tem interesse em expor seus livros como é o processo
Só assim você vai saber se ela aceita autores independentes, se ela requer alguma coisa além das que eu mencionei acima ou se ela tem interesse em expor seu livro. Seja profissional, leve cartões, se apresente como escritor, mas também empresário (afinal, sua empresa é você mesmo). 

2) Procure saber de eventos que vão acontecer nas livrarias e tente participar como escritor convidado
Foi dessa forma que eu entrei com meus livros na Livraria da Travessa pela primeira vez. Fui convidada (na verdade, me autoconvidei e já contei isso aqui no blog) para um evento literário em uma unidade da Livraria e corri para conseguir regularizar minha situação (criar um MEI, emitir nota fiscal, etc) para que meus livros pudessem ficar em exposição. Participar de eventos é uma ótima alternativa se você quer colocar seus livros em exposição, ainda que temporária.

3) Cogite fazer uma sessão de autógrafos ou a noite de lançamento na livraria
A maior parte das livrarias está aberta para marcar sessões de autógrafo e noites de lançamento, desde que seja agendado com uma antecedência mínima. Essa é uma ótima forma de entrar com seus livros, mas fique atento para não se meter em furadas. Algumas livrarias cobram por uma venda mínima de exemplares e se você estiver incerto de que vai ser capaz de vender todos aqueles livros, é melhor procurar outro lugar, ou vai amargar o prejuízo.

4) Pergunte para colegas escritoras que já trabalharam com a livraria de seu interesse para entender melhor como é o processo e quais são suas melhores alternativas
Escritores nacionais precisam se unir! E, da mesma forma que a gente tem que ser cara de pau para conseguir participar de eventos literários, a gente também tem que ter um pouquinho de cara de pau para pedir ajuda e entender melhor o mercado. Converse com outros autores!

5) Tenha ciência de que tudo é passageiro
Se seu livro não vender bem, é provável que a livraria em questão não queira ficar com ele. Ela vai te contatar para que você vá buscar o resto dos livros e emitir uma nota fiscal de acerto. Não é hora de ficar desanimado. É hora de rever a estratégia para tentar de novo. Toda semana a livraria recebe um trozilhão de livros novos e é, realmente, muito difícil conseguir ficar com todos. Eles vão priorizar as grandes editoras, que tem maior capacidade financeira e podem pagar pela exposição. Se seu livro for devolvido, fica com a cabeça erguida e bola para frente, tá bem??

Nenhum comentário:

Postar um comentário