Resenha: Alucinadamente Feliz - Jenny Lawson

Precisamos falar sobre Alucinadamente Feliz. A sensação que eu tenho é que desde que comecei a ler o livro e - em especial - desde que terminei, não consigo falar de outra coisa. Esse livro foi recomendação de uma amiga minha de muitos anos e, muito tempo depois dela ter falado dele, eu resolvi comprá-lo na promoção do dia da mulher na Saraiva e lê-lo.

Eu acho que é legal explicar porque demorei tanto tempo: o livro parece meio maluco. O que tudo bem, porque eu também sou meio maluca. É só que, na época que ela me recomendou, eu não me sentia tão maluca assim. Ou, melhor dizendo, não achava que estava tudo bem me sentir tão maluca assim e reprimia toda minha vontade de gritar pro mundo que às vezes parecia que tinha algo errado dentro de mim.

Os anos passaram e esses "erros" de dentro de mim não sumiram, só pioraram. Depois de um monte de crises, eu resolvi que assumir que tinha alguma coisa errada era o primeiro passo. E, desde então, lido com meus fantasmas e com meus problemas de uma forma muito mais saudável. Aprendi meus limites e, quando não consigo prosseguir, eu simplesmente me dou tempo o bastante para recuperar o fôlego antes de tentar de novo. Ou, pelo menos, é isso que eu tento fazer.



Alucinadamente Feliz é um livro sobre transtornos mentais. Mais do que isso, sua proposta é ser "um livro engraçado sobre coisas horríveis" e é exatamente isso que ele é. Dei muitas gargalhadas lendo o livro mas isso aconteceu especialmente porque eu me identifiquei muito com as coisas horríveis  sobre as quais que a Jenny Lawson escreveu. O livro tem várias resenhas super negativas na Amazon que eu vi acidentalmente. Estava amando o que li, entrei na loja online para ver o preço (porque eu queria comprar OUTRO para dar de presente) e me deparei com as resenhas. Ninguém é obrigado a gostar do livro (ou de nada), mas fiquei pensando que talvez fosse porque as maluquices da Jenny não fizessem sentido para eles. E acho que ela concorda comigo, pois veja uma das frases iniciais do livro:
"Este é um livro engraçado sobre viver com um transtorno mental. Parece uma combinação terrível, mas, falo por mim, tenho transtorno mental e algumas das pessoas mais hilárias que conheço também têm. Então, se você não gostar do livro, talvez só não seja louco o bastante para isso". 
Jenny Lawson é uma blogueira muito famosa, do blog The Bloggess. Alucinadamente Feliz é seu segundo livro e foi publicado pela editora Intrínseca no Brasil, mas foi bestseller internacional. O primeiro se chama "Vamos Fazer de Conta Que Isso Nunca Aconteceu..." (aliás, editora Autêntica, se quiser me mandar esse MIMO, por favor). No seu blog ela compartilha essas histórias sobre sua vida, angariando um monte de leitores malucos iguais à ela e, portanto, juntando um monte de gente maravilhosa em uma única página da internet. 



O título é esse porque Jenny diz que nos dias que está em crise, mal consegue sair da cama e vive imersa em uma profunda tristeza. Por isso, nos dias que está bem e minimamente feliz, ela resolveu não ser mais SÓ FELIZ. Ela quer ser ALUCINADAMENTE FELIZ. E acho que isso faz muito sentido, especialmente considerando as histórias que ela conta no livro. Alguém Alucinadamente Feliz está vivendo sua vida com plenitude nos dias que sua mente e seu corpo permitem, sem ligar para que os outros pensam ou se a acham muito esquisita. 

O livro não é bem dividido em capítulos, mas em espécies de ensaios. Em cada um deles ela fala um pouco sobre sua vida, experiências pessoais, epifanias sem sentidos e como é viver a vida portando algum tipo de transtorno mental (ou com vários, como é o caso dela). São histórias muito engraçadas sobre, por exemplo, sua fixação com animais empalhados (por isso a capa com um guaxinim de bracinhos abertos), sobre como ela queria adotar um novo gato para chamá-lo de Sr. Presidente (e aí poder dar desculpas de "infelizmente não vou poder sair hoje porque o Sr. Presidente precisa de apoio") ou sobre seu relacionamento com seu marido (que não tem nenhum transtorno mental diagnosticado) - eles são o melhor ship do planeta. Porque eles são um casal real, com uma filhinha e vivem felizes. Ou melhor, alucinadamente felizes, mesmo com todas as dificuldades da vida e da nossa cabeça.



A verdade é que que ri muito, mas também chorei muito, especialmente nos capítulos finais. É sempre uma dor e uma alegria se ver representada em um livro sobre transtornos mentais. É doído conviver com eles, mas é tão bom quando entendemos que está tudo bem. E que não estamos sozinhos. Obrigada, Jenny Lawson. Quero ser sua amiga.

Esse final de semana vai sair um vídeo no meu canal onde vou ler um trecho de um dos meus capítulos favoritos. Não esqueçam de se inscrever por lá para assistir e comentar se vocês também se identificaram com esse trecho. Vale comentar também que o livro tem um projeto gráfico maravilhoso e conta até mesmo com ilustrações de guaxinins montados em gatinhos, como se estivessem em rodeios. 



Desde o início do livro fiquei com vontade de comentar várias partes com a Aimee Oliveira (que também é colunista daqui e uma das minhas melhores amigas). Então fiz algo que nunca tinha feito antes: comecei a escrever o livro inteiro, marcando as partes que eu queria destacar e deixando recadinhos para ela. Foi uma experiência muito libertadora e, pelo menos, agora tenho certeza que ela vai saber minhas reações para as partes que precisava que ela soubesse, rs. Acho que essa foi minha forma de ser Alucinadamente Feliz. Já emprestei o livro para ela e agora estou ansiosamente aguardando pelo veredito.


Fico aguardando o seu veredito também. E se você quiser compartilhar suas partes favoritas ou tudo aquilo que odiou, por favor, sinta-se livre para deixar seu comentário ou me escrever por e-mail. E se sua loucura bate com a minha e com a da Jenny Lawson, acho que devemos todos ser amigos potafantásticos. 

Mais sobre o livro

Título original: Furiously Happy: A Funny Book About Horrible Things
Autora: Jenny Lawson
Ano: 2016
Editora: Intrínseca 
Páginas: 346
Compre aqui

Comentários