Resenha: Formaturas Infernais (desafio de releitura)

Seguindo nosso desafio de releituras, hoje voltamos um livro solo! Na verdade, esse livro não é nem só um livro solo só da Meg, mas sim uma coletânea de contos que conta com uma história dela. A Galera Record tem meio que uma série de livros relacionadas com esse "infernais" e Formaturas Infernais é o primeiro deles. Depois temos também Beijos Infernais, Amores Infernais e Férias Infernais. O único que tem um conto da Meg Cabot é o Formaturas Infernais, que é o assunto  da nossa coluna de hoje e o assunto do vídeo dessa semana lá no canal, que sai no domingo :)

O livro tem contos da Meg Cabot, Lauren Myracle, Kim Harrison, Michele Jaffe e  e Stephenie Meyer. Ou seja, só as maravilhosas da literatura teen e, se você considerar que ele foi lançado em 2009 aqui no Brasil, elas eram ainda mais as rainhas do gênero. É nesse ponto que você deve estar um pouco confuso. Ué, Clara, não é um livro de terror/suspense? Olha essa capinha, olha essa fonte e olha esse infernais na capa.

Ele é.
Mas não é.
Continue lendo para saber mais!



Contextualizando, eu morro de medo de qualquer coisa. Tenho um medo especialmente maior quando o assunto envolve espíritos ou qualquer outro tipo de atividade sobrenatural. Eu gosto de histórias de crime e assassinato (ainda que tenha um cadinho de medo também) ou quando tudo 'sobrenatural' é explicado no maior estilo Scooby-Doo.

Esse livro tem um pouco dos dois e, de maneira geral, não é tão assustador. Tiveram contos que me deixaram mais assustada que outros e contos que não me deixaram nada assustada. Vai depender da vertente da escritora, que pode puxar um pouco mais para o romance, para o lado cômico ou para o lado mais medonho. Ou seja, se você como eu morre de medo de livros de terror, fique tranquilo: você vai aguentar ler esse e ainda se divertir. E se você ama livros de terror, fique ciente que esse não é bem um clássico do gênero.

Afinal, não dá para ser todo aterrorizante quando o tema é a formatura do colégio, né? :P

Vamos aos contos, agora?
O da Meg Cabot é o primeiro, mas como ela é O ASSUNTO dessa coluna, vou deixá-lo por último.

O Buquê, escrito por Lauren Myracle

Esse foi o conto que me deixou com mais medo. Da primeira vez que li em 2009 fiquei completamente chocada com o final. E aconteceu exatamente a mesma coisa dessa vez. Esse é o conto mais aterrorizante do livro, na minha opinião. É uma daquelas histórias que a gente termina, fecha o livro, bota ele no peito e fica tipo assim:



O conto narra a história de três melhores amigos que na véspera da formatura do colégio vão visitar uma cartomante para saber sobre seus futuros. Frankie, uma dessas amigas do grupinho, vê um buquê na visita e pede para ficar com ele. Só que é óbvio que aquele não é um buquê normal: ele tem um poder especial e realiza desejos. E as Pussycat Dolls já falaram, né gente? Toma cuidado com o que você pede porque pode acontecer.



Madison Avery e a morte, escrito por Kim Morrison

Madison, a dona do título do conto, acabou de se mudar de cidade e ir morar com o pai, que por N motivos precisava de companhia. É aquela história de menina nova excluída e entendiada. Ela está bem assim no meio da sua festa de formatura que, por coincidência, também é no dia do seu aniversário. De saco cheio daquelas pessoas e daquele lugar, ela resolve cair fora. No meio do caminho para casa, encontra um desconhecido interessante... Achando que sua noite não podia ficar pior, Madison resolve passar um tempo com ele. Só que talvez essa não seja uma boa ideia.


Salada Mista, escrito por Michele Jaffe

Temos um conto de fantasia aqui. Miranda, a nossa protagonista, tem poderes especiais e não sabe o que fazer com eles, como toda adolescente com poderes. Carcomida com as dificuldades e dúvidas, ela sempre tenta usar seus dons para fazer o bem. Como adolescente, Miranda também faz uns bicos para arrumar um dinheirinho cá e lá e nessa conhece uma pirralha chamada Sibby que tem grande potencial de virar a vida dela de cabeça para baixo.



Inferno na Terra, escrito por Stephenie Meyer.

Eu idolatrava essa mulher quando li o livro a primeira vez, no auge da era Crepúsculo. Reli esse conto morrendo de medo de descobrir que, na verdade, ele é uma droga. Mas acabou que gostei dele de novo! Aliviada! O conto da Stephanie Meyer é bem no meio da festa de formatura do inferno mesmo: tá tudo um caos, todo mundo brigando, amizades terminando, casais berrando um com o outro... É claro que tem um ser humano do mal causando todo esse caos. Ou melhor, não é bem um ser humano, rs. Como salvar a formatura?

E agora voltando para o primeiro conto:

 A Filha da Exterminadora, escrito pela maravilhosa Meg Cabot. 

Mary é a filha de uma exterminadora de seres sobrenaturais, como você pode inferir pelo título. Na noite do baile de formatura, ela está caçando no lugar da mãe. Seu trabalho da noite é um vampiro adolescente que está tentando conquistar a melhor amiga de Mary, que tem um namorado incrível, mas está tentada a largá-lo por promessas de amor eterno. Adam, o melhor amigo desse namorado incrível da amiga de Mary, resolve ajudar Mary a caçar esse bendito (ou melhor, maldito) vampiro e salvar a menina e a felicidade do amigo. Meg Cabot sempre um primor, fazendo ships maravilhosos em poucas páginas e capaz de arrancar muitas risadas mesmo em uma história curta.

Fica a sugestão para quem curte livros com essa pegada e para quem acha que não curte, mas quer testar! Alguém aí já leu? Qual foi o conto favorito de vocês?

Mais sobre o livro

Título original: Prom Nights From Hell
Autora: Meg Cabot, Lauren Myracle, Kim Harrison, Michele Jaffe e e Stephenie Meyer
Ano: 2007
Editora: Galera Record
Páginas: 320
Compre aqui!

Comentários