Leituras de Junho? - Clara Savelli

Olá! Todo mês eu venho aqui contar sobre minhas leituras do mês e hoje é com muita derrota que eu venho contar que não terminei livro nenhum esse mês - ou, pelo menos, que eu não me lembro de ter terminado. Não consegui computar também. Perdi totalmente a razão do mês. Fiquei tão cheia de tarefas que, quando eu vi, ele já tinha acabado. Com poucas linhas lidas e menos ainda computadas.



Vir aqui expor minha cara e falar uma aberração dessa faz parte de um processo de libertação. Vivendo no mundo dos livros o tempo inteiro, é de se esperar que eu esteja devorando um livro por dia ou, no mínimo, por semana. E, por muitos anos, essa foi mesmo a realidade. Emendava uma história na outra como forma de fugir da minha própria vida e dos meus próprios fantasmas.

Eu ainda quero fugir desses fantasmas, que continuam me atormentando constantemente, mas agora eu tenho obrigações que eu não tinha quando fazia essas maratonas de leitura. Acho que é isso que chamam de ser adulto. E, para ser sincera, eu estou achando uma droga.


Mas acho que faz parte desse de ser adulta também entender nossas limitações e não nos culpar por, às vezes, não ser capaz de conseguir fazer tudo que queremos. Não dar conta da lista de tarefas. Não conseguir ler os livros que programamos.

Os livros são meu escape e meus melhores amigos. E, nesse momento de vida, onde ler faz parte do meu trabalho, tenho que tomar muito cuidado para que eles não sejam mais um motivo de pressão. Essa coluna é um desabafo de que às vezes não dá. E se você se sentir assim também, respire e respeite seus limites. Vai dar tudo certo.

Comentários