Para toda vez que você pensar em desistir do seu blog

Eu falei que voltava, né? Mas confesso que nesse período houve vários momentos em que pensei e repensei se valeria a pena voltar. Precisei relembrar os motivos pelos quais o blog surgiu e o que de fato ele significa para mim. Nada melhor que o mês de aniversário do PN para me mostrar que já temos uma história e que ela precisa ser continuada. Para retomar as atividades do blog eu quero conversar com os migos blogueiros sobre esse sentimento louco de querer desistir do blog.


Provavelmente você já deve ter notado que o blog como plataforma de comunicação tem caído um pouco no conceito entre os produtores de conteúdo. Em tempos que todo mundo é digital influencer, que as pessoas ficam famosas pelo que elas vendem e não pelo que fazem, criar e/ou manter um blog passou a ser uma tarefa muito penosa para um retorno muito baixo de números (diante dessa lógica de resultados). Não vou cair na falácia de dizer que criar conteúdo para outras plataformas é mais fácil. Mas vamos combinar que tem suas vantagens e, com certeza, a maior delas é que você "atinge" muito mais pessoas do que aqui nesse nosso mundinho blogueirinho.

Então, por que continuar com um blog?

Nostalgia, apego emocional... Também. No entanto, principalmente porque eu vejo o blog como registro das minhas experiências, um espaço onde posso compartilhar minhas ideias e desabafar. E diferente das relações estabelecidas em redes sociais mais dinâmicas, sei que quem chega até aqui está interessado em me ouvir (ou ler rs) de verdade. Mesmo que entre aqui e não comente, não interaja somando "números" as minhas estatísticas. Muito provavelmente, quem ler esse post estará pensando junto comigo sobre isso. Acredito muito que por menor que seja o contato de uma pessoa com a outra, ali naquele microssegundo, que seja, existe um troca onde cada um levará um pouquinho do outro para resto da vida. 

Eu ainda tenho muitas inquietações dentro de mim, continuo conhecendo novos livros, filmes, série e vivenciando experiências que quero gritar para o mundo... Quer lugar melhor que um cantinho que você mesmo criou? Que não terá um milhão de outras postagens ou algoritmos escondendo seus conteúdos? Talvez eu tenha essa percepção por ter entrado nesse mundo numa época que as pessoas não "comercializavam" seus conteúdos. Por mais que hoje em dia eu pense que talvez (um dia, quem sabe...), eu possa ganhar dinheiro "produzindo conteúdo" (aliás, acho muio legítimo), não foi esse a minha maior motivação para criar o PN. 

Então, antes de desistir do seu blog, respira fundo, tira umas férias dele  - porque a vida não tá fácil e nem sempre dá para abraçar o mundo (e essa já uma pauta para o outro post), tente relembrar o que estava passando na sua cabeça quando resolveu criar o seu blog... E se, mesmo assim, de alguma forma, você achar que o blog já cumpriu o papel dele em sua vida, não tenha medo de desistir. Não se prenda a algo que não te representa mais agora. E se no futuro você achar que precisa de um espaço só seu de novo, tenho certeza que você lembrará do caminho. 

Comentários

  1. Isso mesmo, desistir jamais, por mais que seja difícil conciliar as coisas da vida com ele é algo que vale muito à pena, já aprendi bastante e aprendo todos os dias :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário